quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

(Quase) Boas Notícias

Exausta mentalmente! Uff!
Gente, na boa... não aguento mais esses sustos, esses perrengues, esses poréns.
Estou muito cansada, estou triste, com o coração apertado de saudades dele, e até o último segundo eu fico ali, no desespero de eu nunca saber como nada vai se resolver. Com isso, nunca sei o que esperar, nunca sei o que vou fazer, nunca sei no que vai dar. Isso é agoniante.

Mas bem, não posso ser ingrata e dizer que tudo está péssimo porque não está. Poderia ser bem pior, definitivamente. Então, pelas pequenas coisas que dão certo, agradeço a Deus.

Não falei meus 50 segundos com ele hoje, e isso tá me matando.
Ontem ele me ligou e me deu uma boa notícia. Quando ele telefona eu começo a fazer todas as perguntas bem rápido, porque que sei que logo o tempo vai acabar.
- Amor você está bem? Está dormindo bem? Está comendo bem? Alguém te machucou? Estão te fazendo passar muita dificuldade? Vai ter internet aí?

Ele, com a vozinha super pra baixo (não sei dizer se era tristeza ou apenas cansaço):
- Eu estou bem. Está tudo bem por aqui. Ninguém me machucou não. Eu só estou muito cansado, eles exijem muito da gente fisicamente por aqui. E não nos deixam dormir cedo, isso não é fácil. Me conta rápido... como você está? Você está bem?

Eu tentando não transparecer a tristeza:
- Estou bem amor, tudo ótimo por aqui. Minha família está bem, tudo certo por aqui. Me diz mais de você.

Ele começando a correr mais parar falar:
- Vou falar rápido porque meu crédito está acabando. Eles disseram que precisavam de um um engenheiro de informática e me escolheram. Então eu vou sair do quartel e vou para um escritório para monitorar alguns sistemas.

Perguntei então se ele sempre teria acesso a um computador e à internet. Ele disse que a um computador sim, mas não internet. Não poderia falar, abrir camera, digitar... talvez um e-mail, mas não sabe. Ele vai ficar lá até o final do mês que é quando acaba o treinamento e depois mudam ele de cidade. Ah meu Deus, que seja próximo a Istambul!

De qualquer maneira, isso já é uma boa notícia. Ele vai ficar na área dele, sem muito esforço físico, mais seguro. Achei que assim falaria mais com ele, mas hoje fiquei o dia inteiro na expectativa e nada. Me bate um estado de espírito de tristeza o tempo todo. Me seguro, porque tenho que conseguir vencer isso, falo, brinco um pouco, sorrio, faço minhas coisas... mas é como se tivesse um PESO aqui dentro do peito, sabe. É bem ruim, é bem difícil. Mas ok, Deus sabe mais, sei que vou entender lá na frente.

E hoje apresentei minha monografia. Esse assunto me deixou tão triste, que vou copiar o que postei no Facebook como o resumo da ópera:
"Monografia devia ser prova da resistência física e psicológica do Big Brother.

Apresentei em 15 min, ouvi mais de 1H de críticas sem fim, e comecei a segurar e choro pensando - reprovei. Depois da conversa dos professores, eles acharam o meu tema incrível e original, disseram que minha apresentação foi excelente, que falo bem, sou articulada, inteligente e demonstrei saber do que estava falando. Mas como era de se esperar, disseram que estava totalmente perdida, sem foco e dei um passo maior do que a perna, afinal, fiquei sem orientadora.

Conclusão: não fui aprovada, mas não quiseram me reprovar, porque eles acham que posso fazer um trabalho bom, e que tenho uma boa tragetória na universidade. Tenho até 24/01 pra refazer e entregar. Alguém me empresta um cérebro? O meu parou de funcionar..."
Foi muito doloroso por um lado, pois só Deus sabe da dificuldade pra fazer essa monografia, sem um orientador propriamente dito. Em algumas faculdades, você entrega, e eles não exigem muito. Eu já sabia que na minha universidade eles exigiriam muito e sabia que seria quase impossível terminar de escrever. Mas terminei, entreguei.
Hoje apresentei com o coração na mão. 30 segundos de elogio e sem exagero, 1H de críticas, sem parar. Minha cabeça estava quase explodindo. A minha banca falou coisas muito pertinentes e que eu precisava mesmo ouvir, já que sem direcionamento, você ficando andando de um lado para o outro sem saber exatamente por onde ir. Você perde o foco e não escolhe o caminho certo.
É muito muito muito muito muito muito muito muito ruim ainda ficar nisso até quase a véspera da minha viagem. (Eu ia dizer "ou não", mas não vou mais pensar que posso não ir. EU VOU, pronto). Daí ao invés de eu ter esses dias para relaxar e aproveitar minha família, vou ficar que nem uma mulher das cavernas, trancada aqui fazendo essas coisas. HAJA PERSEVERANÇA.

Que droga, eu só queria falar com meu namorado, passar meus dias com meus amigos de família antes de ir, preparar minha mudança... me fortalecer, estar bem, estar forte, estar em paz sabe? Mas parece que ainda tem muita turbulência por vir.
Ah minha gente... é isso, tô triste, tô cheteada, inquieta... mas eu não desisto. Desenvolvi uma técnica, que chamei de "auto-animação de si própria" hahaha. Nome mais redudante impossível, né. Mas é uma técnica que quando eu estou triste, mas não me permito deixar abater, falo uma palhaçadas pra mim mesma e rio sozinha, ou quando acho alguma coisa que possa distrair minha mente dos momentos difíceis, então vou colocar minha técnica em prática agora, postando um videozinho de quando o Emre estava aqui no Rio (porque acho que não postei nenhuma foto ou vídeo de quando ele estava aqui. Então vocês vão ver um turco na terra da praia e do futebol.
video
(Obs: Apesar de não ter no vídeo lembrei agora que não tem coisa mais bonitinha que ele falando "Copapacana" rsrs)
Prometo tentar fazer o próximo post ficar mais legal!
Um beijo meu povo e minha pova!

6 comentários:

Patrícia Pinheiro da Silva disse...

uerida ,sei o que está sentindo, chama-se ansiedade, por isso te falei cada coisa tem seu tempo, entâo faça uma coisa de cada vez, do começo ao fim , e verá que assim fica mais fácil, mesmo sabendo que esta passando um período difícil, mas tenha certeza que esse tempo vai passar e o que você plantar agora vai colher mais tarde, então mâos á obra e faça o amanhã hoje, bjs. Te adoro.

Mari disse...

Eu concordo com a colega acima. Uma coisa de cada vez.
Eu sei que vc está correndo contra o tempo, queria fazer algumas coisas antes de ir, mas agora o momento é focar na monografia.
Olha como Deus sabe o que faz: O Emre está bem. Sua família e seus amigos dando todo o suporte pra você. Dando seu tempo. Pra quem não teve uma orientadora, na bancada que analisou sua monigrafia vc ganhou 1 h de critica que não deixa de ser uma orientação para um novo ponto de partida. Ta td do jeitinho certo.
Usa Os espaços de tempo pra sua auTo animação de si própria mesmo. Medita.
É hora de vc pensar em si mesma. É hora de focar.
Vai chegar a hora de despedida. A hora de abrir as asas pro mundo. A hora dos reencontros gostosos com a família. Vai dar tudo certo!
Beijos Jess! E mt calma nessa hora :)

relvis presley disse...

o destıno sempre poe as coısas certas na hora certa nos nossos camınhos...
eu partıcularmente acho q eh melhor voce ter maıs no q focar do q fıcar ansıosa sobre a vıagem, sentındo saudade antecıpada e pensando o q pode estar acontecendo com o emre...
melhor ocupar essa cachola menına!

maos a obra!

Marise disse...

Concordo com Relvitcha. Mãos à obra. Me manda sua monografia: marisearagao@gmail.com que vou dar uma olhadinha tb. Não esqueci aquele papo sobre as agências de lá, viu??? O Ihsan não conhece muita gente de publicidade, mas a gente vai dar um jeito. Há jeito pra quase tudo na vida! Quem sabe eu, tu e Cibele possamos pensar melhor num "foco" pra isso. Ps. eu tenho um em mente, mas preciso ver o que vc escreveu. Bjo!!!

Lu disse...

Ei, Jéssica,
sou a Luiza, amiga da Relva, e sempre passo por aqui (apesar de nunca comentar).
Devo dizer que concordo com a Relva: apesar dos pesares, é bom você ter com o que ocupar a sua cabeça, ter com o que mudar o foco. Apesar de ser bom ter tempo para curtir as pessoas, é ruim ter tempo para lamentar que vai estar longe delas. E, apesar da preocupação, quando se enfia na cabeça da gente, não sumir de jeito nenhum, se manter ocupada é um jeito de ter uma folga dela.
Isso é meio que brincar de Pollyanna mesmo (já leu o livro? É infanto-juvenil, mas super recomendo), mas se a gente não faz assim, perde muita coisa boa na vida, por achar que a parte ruim as vezes "esconde" a parte boa.
Não desanime, e pense que o sacrifício vai valer muito a pena!
Boa sorte para você, viu?

Anônimo disse...

Isso mesmo as meninas estão certas força e muita fé, estou orando por vc..Muita calma vai dar tudo certo.
Adorei o video muito cute..rsrs
Beijo e força na peruca :)
Pri