domingo, 25 de março de 2012

A história do Çekirdek (Semente de Girassol)

Os turcos e brasileiros tem algumas paixões em comum.
Uma delas é comer sementes e frutas secas.

No Brasil, tem sempre um dia que estamos comendo pé-de-moleque, paçoca, amendoim torrado ou aquele amendoim açucarado que vende nos pontos de ônibus... Ou então quando vem alguém nos visitar e colocamos no potinho de tira-gosto coisas como: castanha-do-pará, castanha-de-cajú, amendoim com casca. Ou no Natal, que na mesa tem sempre avelã, castanha, amêndoas, nozes e tantas coisas deliciosas.
Uma das mesas do Natal de 2011 na minha casa! :)

Aqui, o pessoal tá sempre comendo essas belezinhas também. E nem precisa ter ocasião especial. Muitas das sobremesas levam ou pistache, ou avelã, ou nozes... De tarde, quando estão conversando ou vendo televisão, tá lá um potinho dessas sementes sortidas. É bem popular por aqui mesmo.

Daí eles colocam num potão e devoram - Minha pele NÃO agradece depois, mas eu adoro mesmo assim.

Daí vamos à parte em que a bonitinha aqui pagou um lindo de um mico.
Fui no Shopping Forum Istanbul com a minha vizinha (pra variar né, tô sempre com as minhas vizinhas e eu adoro!) pra comprar umas roupas pro irmão dela. Depois de termos andando o shopping todo, procurando as tais roupas que eles estavam procurando, estavamos para ir pra casa. 

Daí passamos por um quiosque, que vendia doces turcos. Comprei uma caixinha de Lokum (Turkish Delight = Delícia Turca) pra enviar pros meus avós pelo correio da próxima vez, e eles compram um mooooonte de outros doces. Um deles, foi o nosso amigo Çekirdek. 

No carro, eles me deram um moooonte de avelãs, e eu devorei tudo. Daí me deram um outro docinho que eu esqueci o nome, e fui comendo tudo sem nem pensar. Por último, eles me deram um punhado de Çekirdek, e a TONTONA aqui, colocou uns 5 na boca e começou a mastigar. Nem tinha acabo direito de mastigar e ja ia colocando mais uns 5 na boca. 

Antes de eu terminar o tanto que já tinha na minha boca e colocar mais na boca, eu comecei a perceber que eu mastigava, mastigava, mastigava, mastigava... e o negócio não se desfazia nunca. Ele ele torradinho e já tinha sal, então eu tava comendo feito aquele amendoim torrado. Daí eu olho pra minha vizinha que tava no meu lado e falo cara de quem chupou limão: 
- Derya, eu tô mastigando e mastigando e eu não consigo engolir isso.

Todo mundo para, olha pra minha cara com cara de espanto. A Derya fala:
- Jessica, abre a boca.

Eu abri, né. O marido dela, o irmão dela e ela caíram na gargalhada hiuahiauhaiuahaiuhaiuahuaihuia.
E eu olhando pra eles sem entender. Daí eu reparo que cada um está com a mãe fechada, sabe com o que dentro? Com as CASCAS do Çekirdek que NÃO SÃO ENGOLIDAS. Ele mordiam com força a casca,  a abriam, a tiravam e comiam só o interior. E a débil mental aqui, nem parou pra pensar que pra comer semente de girassol só poderia ser assim mesmo.

Mas pô, eu pensei comigo que deveria ser diferente. Pensa comigo, pra que eles vão colocar sal na casca, se ela não vai ser comida. Tinha que torrar, tirar a casca e jogal o sal, não é? Daí se tinha sal NA casca, pensei que era pra comer também. Mas não, TOIN na minha cara e agora todo mundo conta essa história pra rir de mim hahahahah.

Eu tentei começar a comer como eles, mas cara... enquanto eu abria APENAS UM, eles ja tinham comido uns 15. Eu não gosto de comer comida difícil e que me dá trabalho pra comer, então deixei pra lá. A fofa da minha vizinha, até tava tirando a casa pra mim, mas eu fiquei com peninha (e com vergonha na cara, que as vezes faz bem rs) e desisti de comer.

Então minha gente, quando vocês passam por situações parecida, sejam mais inteligentes que eu e se LIGUEM só um pouquinho rs. E quando forem comer o tal çekirdek (semente de girassol), come assim, como meu vizinho tava me mostrando oh:


Beeeeeijos

terça-feira, 20 de março de 2012

Fazendo compras no Bazar

Quase nem tô falando mais de namoro, relacionamento, briga e coisa e tal, né?
Sei que a maioria que passa por aqui, tem um turco em sua vida, e por isso muitas vezes se corrói de curiosidade sobre hábitos, dia-a-dia, personalidade e etc. Mas como eu sempre digo: não tem uma fórmula mágica.

E também, faz pouco tempo que eu cheguei, o Emre ainda está longe de mim, temos menos contato do que tínhamos antes, apesar de eu estar no mesmo país que ele. Minha visão é fresca de recém chegada a esse maravilhoso mundo novo, e quero compartilhar um pouquinho de tudo que me chama atenção.

Faz umas 3 semanas, que todas as terças-feiras, vou ao Bazar com a Derya, minha vizinha, ver as novidades e fazer umas comprinhas. Sempre que eu precisava comprar uma coisa mais simples, ela dizia pra mim:
- Jessica, não compra aqui não. Lá no Salı Pazarı tem isso também, só que mais barato, você vai gostar!
A gente sempre enrolava, mas nunca ía mesmo. Até que um dia fomos e viramos frequentadoras assíduas rs.

Raramente saio de lá de mãos vazias, porque tem uma barraca por exemplo, que vende TUDO a 10TL. E tem muita coisa bonita, viu! Eu nunca nem tinha me ligado em tirar foto e documentar como é lá pelo Bazar (que é umas mistura do que a gente chama de "Feira" lá no Rio - com comida, frutas, verduras e umas poucas roupas - com a "Feirinha" - que é feito pra comprar roupa mesmo, tendo barraca dos mais variados estilos).

Então lá vai algumas das fotos, pra vocês terem noção.
É bem grandão assim e fica cheio

Hahahaha, oh só o que o moço dessa barraca faz pra chamar atenção. E chama mesmo, eu fico morrendo de rir, e sempre passo pra dar um oi pra ele, que fez até pose pra essa foto :D
Daí as pessoas ficam procurando as peças que gostam mais, e ele fica lá de cima ajudando a achar no tamanho ou cor certa, e claro, recebendo o dinheiro de todo mundo heheh ;)
Essa é uma barraca de capas de almofada e toalhas de mesa

Mesmo com o frio todo que tava há 2 semanas atrás, tava lá firme e forte a barraca de biquinis
Camisas Masculinas
Óculos escuros pra todos os gostos
Quase comprei um desses cordões hohoho :p
Blusas da última moda, tá bem?
Almofadinhas coloridas
Frutas frescas- Meyveler
Frutas secas e sementes
Mais roupas!
Artigos de decoração pra casa - amei esses daí!
Flores - Çicekler:)
Oh alá o Olho Turco, o Dervixe e a Tulipa - símbolos da Turquia
Nosso amigo de todas as horas, o Simit, pãozinho em formato de rosco, quase sempre coberto com gergelim.
Calças esportivos - que a gente usa em casa mesmo rs.
Mulheres doidas por acessórios, se segurem: BOLSAS!:)
Posso estar enganada, mas acho que a mulherada por aqui prefere esse tipo de joia mais "bruta", ou seja, com pedrooonas mesmo, sabem como? São um LOOSHO rs
Briquedos! Olha o Pepee, as crianças amam ele por aqui, e os estrangeiros recém chegados - cof cof EU! - também, porque ouvi dizer que dá pra aprender palavrinhas básicas rs.
Sapatos, muitos sapatos. E olha que eu esqueci de tirar foto, da barraca de sapatos de salto super alto.
Doces e alguns salgados. Borek, Charuto de Uva, Baklava...
Lençóis
Cara, essa barraca de tapetes, é GIGANTE. Como vocês notam, tem 4 homens, em cima dela. Tem muito tapete mesmo, e tudo num preço bem xuxu.
Cosméticos. E oh que engraçado, essa marca de esmaltes daí, que é uma das famosas, se chama FLORMAR, mó cara de brazuca ou de novela mexicana com a Thalía né? rs

Essa é bem curiosa. Barraca de lingeries. E você pensa que a dona da barraca é mulher? Não, são 2 homens. E você pensa que as mulheres ficam com vergonha de escolher calmamente seus modelos favoritos? Eu confesso, que eu fico, mas é super tranquilo, o moço lá fica ajudando a achar os tamanhos e cores e favoritas também. Super de boa, comprei um sutiã a 10TL
Aaaai essa eu adoro. Meia-calça por 3/5 TL, uebaaaaa.
Acessórios de cabelo, apliques e peruca - que curiosamente de escreve PERUK :)
Lenços e Pashminas, também bem baratinho
 Eu sei, haja foto! Mas é bacana dar uma olhada no que o povão mesmo, faz no dia-a-dia, gosto muito de lá.
Minhas compras de hoje: 2 calças de ficar em casa (aqui eles dizem exatamente "pijama",  por 10 TL casa, uma blusa  bem  fofa também por 10 TL e essa blusa presa de manga por 20TL.


Agora me senti até no programa de televisão que gosto de assistir por aqui, o "Bugün Ne Giysem?" (= O que você vai vestir hoje?). As participantes escolhem suas melhores roupas pra mostrar pros jurados, e tem uma hora que a apresentadora pergunta o preço das coisas.

Daí a pessoa diz:
- Ah, esse vestido aqui custou 70TL *Som de: Wuuuuuu*. Já esse meu par de sapatos custa 100TL *Som de: Aaaaaaaaaahhhh*. Pre finalizar o look, minha bolsa custa 50TL *Som de: Oooohhhhh*.

Assiste só a partir de 1:48 do vídeo rs

Então é isso que o post de hoje tá gigante. Beijão, florzinhas!

segunda-feira, 19 de março de 2012

Toca música brasileira na Turquia?

Esse post chega até ser uma redundância, acho eu.
Todo mundo que segue algum blog de quem está na Turquia, já deve ter ouvido falar da música brasileira que virou parada de sucesso por aqui.

É na rua, nas lojas dos Shoppings, nas rádios, nos canais de clipe, nos celulares e mp3's da galera... Pra minha surpresa, a filha de 13 anos da minha vizinha até pediu pra professora escolher essa música pra apresentação que eles vão fazer na escola. A professora não só aceitou, como adorou a música e pediu pra eu escrever a tradução pra eles, é mole?

Sabem de qual música eu tô falando?
Vídeo com direito às minhas vizinhas cantando, dançando e tudo... lá vai:

video

Pasmou, embasbacou, surpreendeu? Você não é o único! rs :)
O mais engraçado é quando me perguntam o que significa. A tradução fica uma DELÍCIA! rs
É só isso mesmo por hoje. Fiquem na paz, beijão!

quarta-feira, 14 de março de 2012

Aprendendo dança típica

Hello meu povo!

Bem bem, cês sabem que cada lugar tem suas tradições.
Aqui na Turquia, certamente, tem muitas completamente desconhecidas para nós.
E sem dúvida, uma das categorias que eu mais gosto, dentro dessas tradições, é a dança.

Tem vááárias, e cada uma oriunda da sua região/cidade de origem. Algumas vistas em casamentos, outras em festas, outras você vê em todo tipo de reunião dentre amigos e/ou família, com tanto que tenha muitas diversão e risada dentro daquele evento. Alguns são muito curiosos.

A primeira dança típica que vi, foi em um dos vídeos de formatura do Emre. Estavam todos de beca, no ginásio ao ar livre da universidade. Já tinha passado o momento das solenidades e homenagens, e todos os formandos estavam rindo, dançando e brincando juntos. Até que vi o grupo de amigo dele, em círculo, dançando, fazendo a pausa e batendo palma 5 vezes, de cima pra baixo. Achei tão divertido, rs! Especialmente porque não parecia uma dança muuuito complexa, achei que pudesse aprender com alguma prática e ficou na minha cabeça.

Daí, um desses muitos dias que estou com minhas vizinhas, comecei a cantarolar a música da dança que tinha visto e pedi pra me ensinarem. Elas começaram a rir (porque né, tudo que eu faço e falo aqui todo mundo começa a rir da minha cara, como se eu fosse um bebê rsrs), levantaram e me mostram como fazer.
PRONTO! Fiquei uma semana, repetindo a dança sem parar. Daí quando vinha uma vizinha, ou famíliares das vizinhas, imediatamente elas pediam:
- Jessica, vem vem vem, mostra pra minha mãe a dança que a gente te ensinou.

E eu tooooooda serelepe dançando, rindo, e todo mundo rindo comigo também! :)

No vídeo, tinhas horas que eu já tava avacalhando tudo, tropeçando nos meus próprios pés, fazendo tudo errado, porque a música vai ficando mais rápida, e era o segundo dia que eu tava dançando hiauhaiuahauiah.
Mas eu prometo que agora danço melhorzinho que isso! :p

Oh que bacaninha esse comercial da Turkcell com a tal dancinha! :)

Então pra quem quer praticar (rs) e não conseguiu pegar muito bem no vídeo, vou tentar descrever mais ou menos:

- Segure um amigo de cada lado, pelo dedo mindinho
- Dê 4 passos espaçados pra sua direita (no ritmo da música, dãã Jessica!)
- Dê os mesmos 4 passos espaçados para sua esquerda
- Mais uma vez, 4 passos espaçados pra direita
- E de novo, 4 passos espaçados para esquerda
- Dê 1 passo, com a perna direita, por fora da outra perna, tocando no final, só os dedos (ou o dedão) no chão)
- Dê 1 passo, agora com a perna esquerda, por fora da outra perna, tocando no final, só os dedos (ou o dedão) no chão)
- Repita com a perna direita
- Repita com a perna esquerda
- Agora parados, em posição ereta, toque o chão com a perna direita, 3 vezes, no formato de um círculo.
- Permaneça parado, agora com as pernas mais próximas, batendo palma 5 vezes de baixo pra cima
- REPITA TUDO OUTRA VEZ, com o ritmo cada vez mais rápido

Deu pra entender? Espero que sim, é fácil!
É isso, espero que tenham se divertido às minhas custas rs.

Beijããão

sexta-feira, 2 de março de 2012

Minha vida nas vizinhas

O título do post é o título do livro que minha mãe disse que eu deveria escrever. Ou algo do gênero: "Minha vida na casa das vizinhas". Quase que poético o negócio hiauhauiah. Ela diz isso porque toda vez que me procura na internet, ou toda vez que me telefona, quase sempre (veja bem, eu disse "quase"), eu digo que estou na casa das vizinhas.

Nas vésperas da viagem, a amiga com a qual eu divido aqui o apartamento, já tinha me dito que tinha uma relação muito boa com a vizinha dela. E que ela era casada, com 2 filhos e tal. Eu imaginava que quando chegasse aqui ela ia me tratar muito bem também. Já prevendo esse "bem-tratar", eu trouxe um pacotão de Toblerone do aeroporto, mais como lembrança mesmo e também como agradecimento pela gentileza que eu sabia que ela me tratar.

Se eu soubesse teria comprado a fábrica do Toblerone inteira. Eu imaginava que seria bem recebida, só não sabia que ia praticamente me sentir como um membro da família. Dia 04 de Fevereiro, quando cheguei aqui, tive o primeiro contato com ela. Era bem tarde até, em torno de 23H, quando a campainha de casa tocou e eu não fazia ideia de quem poderia ser naquela hora. Quando a Yaren abriu a porta, era a minha vizinha vindo me conhecer. Ela e a família, tinham aparentemente chegado de uma festa, mas só ela, a filha e o irmão (que de vez em quando vem visitar) entraram. Ela me olhou com o sorriso mais aberto so mundo e imediatamente veio me abraçar e me beijar. Com toda a minha alegria, abracei ela bem apertado, dei 2 beijos e soltei meu basicão de turco "Merhaba, nasilsin? Çok memnum oldum!" (= Olá, tudo bem? Muito prazer em conhecê-la!) :)
Um dos anjos e grandes presentes que ganhei aqui nessa Terra, minha querida vizinha :) <3
Abracei e beijei a filha dela também, que tem só 13 anos, uma fofuuuuura, e cumprimentei o irmão.
Eles ficaram por aqui, e mesmo com o pouco que entendia, eu só sorria, sorria, sorria e sorria, porque era isso o que eles faziam pra mim. Sorriam sem parar. Tinha a Yaren e o Ugur (o irmão dela) pra ficarem fazendo a ponte de tradução, mas mesmo no meu turco-tarzan a gente ia se entendendo.

Na segunda-feira, em torno as 11 da manhã, estava em casa sozinha (minha amiga, já tinha ido pro trabalho), quando fui acordada pela campainha (que não é "DIM-DOM", mas uma musiquinha engraçada rs). Eu tinha sido avisada para não atender a campainha, porque afinal, como eu iria me comunicar? Mas fui eu, na ponta dos pés, prendendo a respiração pra não me ouvirem, ver que era pelo olho mágico. E lá estava a Derya, de pijama, com um sorriso, me esperando atender. Abri a porta, soltei um sorriso e tentei a muito custo entender o que ela queria me dizer. E adivinhem só, ela estava me convidando pra tomar café-da-manhã.

Fiquei muito surpresa e feliz ao mesmo tempo, porque tinha passado tão pouco tempo com ela, ela mal me conhecia, e tinha descido 2 andares só pra me chamar pra tomar café-da-manhã . Juro que nem acreditei direito. E a mesa faaaaaaaarta, como manda o costume do café da manhã por aqui. Só sei que, desde então, raros foram os dias em que não tomei café-da-manhã lá na casa dela.

Aproveito a oportunidade pra mergulhar mesmo na cultura. De vez em quando, tem alguém pra nos salvar e traduzir a conversa. Mas quando estamos sozinhas (que é quando os filhos estão na escola, o irmão não vem visitar e a Yaren tá no trabalho), nos viramos entre gestos, palavras em inglês, português e turco, e sabe... temos nos entendido melhor a cada dia. Aprendo de tudo com eles aqui. Aprendo mais sobre essa noção de família. Aprendo sobre a cultura. Tenho tentado aprender a cozinhar e a cuidar da casa da maneira deles. Não preciso fazer tudo igualzinho, mas é bom saber, pra quando eu estiver na casa dos outros, ou na minha sogra né. (cês sabem, essa história  da família dele ainda está para ser resolvida). Tem sido uma imersão muito proveitosa pra mim. Não substitui minha família que tá lá no Brasil, mas com certeza é como se fosse uma família aqui na Turquia pra mim, e isso não tem nem como agradecer a altura. Sem esquecer também de citar a Yaren, que é uma irmã que ganhei.

E engraçado, essa coisa da inveja, do cuidado com ela, é uma coisa tão presente por aqui, que ando até com medo de falar as coisas. Graças a Deus está tudo em tanta paz, a ponto de eu me recolher muito mais para não correr o risco do tal "olho grande" cair sobre essa benção que tenho tido o privilégio de viver.

E daí pra frente, acontece de tudo um pouco. Vamos ao shopping, passeamos, rimos, limpamos a casa, ajudo ela a arrumar o armário, ela me ajudou a arrumar o meu também e os dias vão passando da melhor maneira possível. Nesse vídeo aqui em baixo, a gente tava indo ao Shopping com o marido e o irmão dela no carro, pra comprar umas coisas. Tava nevando (não sei se vai dar para aparecer aí), e estava mais engarrafado que o normal (já é bastaaante engarrafado), mas nem senti o transito. Eu tava zoando o irmão dela de "pislik" (= idiota, em turco - minha mais nova palavra favorita hiauhauaaiuha), conversando com ela, rindo, enfim... acho que tava mais divertido no carro, no engarrafamento, do que no shopping propriamente dito. :)
video
Tem sempre um episódio novo  na nova novela de Jessica Perez *tambores rufantes*: Meus dias na casa da vizinha. Nesse dia mesmo, paguei um micão, que só dando na minha cara para aprender a deixar de ser trouxa hiauhaiuahua. Eu vou contar, pode deixar, tirei até foto ilustrativa já.

Beijããão minha gente!