terça-feira, 29 de novembro de 2011

Brigas, como lidar?

Não sei se alguém pensa isso.

Mas se alguém acha que eu eu e meu namorado não brigamos nunca ou quase nunca, essa pessoa está errada. É que eu não fico postando cada briga nossa por aqui, porque eu gosto de nos preservar. Mas não é pra fazer pose de casal perfeito, não. Aliás, faço questão sempre de exaltar as coisas maravilhosas que temos juntos, mas sempre digo que temos nossas diferenças. E isso é normal.

Tá achando o quê? Somos brabos hahaha (No forte de Copacabana no RJ)

A nossa "dinâmica de brigas" é assim: somos de fases. Passamos teeeempos sem ter brigas, mas aí numa determinada semana, qualquer coisinha já é motivo pra desentendimento. Aí ficamos uns 3/4 dias onde tudo que a gente diz e/ou faz acaba saindo pela culatra.

Tivemos 3 fases de brigas:

Fase 1) A gente se desentendia, mas falávamos calmamente, conversávamos, e resolvíamos tudo em menos de 1 hora e pronto. Acabava ali super na boa. Nem era briga mesmo, era mais diferenças de opinião, ou ficarmos chateados por uma determina atitude.

Fase 2) A fase que essas pequenas brigas ficaram meio acumuladas, guardadinhas no fundo do baú, daí a nossa tolerância já foi ficando menor. Eu me irritava muito mais, as vezes falava com o tom de voz mais alto, vira e mexe soltava uma palavra mais pesada (e sempre me arrependia depois). E ele tava meio irredutível com suas opiniões, especialmente quando a diferença cultural gritava. A que prevalecia era sempre a dele, porque ele não aceitava bem a minha. Daí a gente desligava, ir dormir, esfriava a cabeça, e no dia seguinte colocávamos tudo no lugar de novo

Fase 3) Já consegui controlar quando meu tom de voz começa a querer subir, já não solto, vez ou outra, as palavras mais pesadinhas que eu soltava. Falo tudo que eu sinto, porque estou triste, o que não gosto, porém de maneira moderada. Ele já está um POUCO mais flexível com o lance de cultura. Só que agora a gente demora um pouquinho mais pra resolver, tipo uns 2 dias pra ficar 100% cheio de palavrinhas melosas.
[É a fase que estamos agora e acho que vai ser o nosso padrão daqui pra frente, mas ainda espero que melhore]

Alguns dos motivos que ele mais fica chateado comigo:
- Quando estou sentindo algo e fico mais calada, não conto tudo (Porque o fato de falar os problemas, me faz pensar neles de novo e quando algo me machuca, eu prefiro esquecer uns dias que aquilo existe pra me recuperar). Mas ele não deixa eu ficar calada de JEITO nenhum. Ele diz que quer ser "Herşeyim = Meu tudo", saber de tudo, onde eu consigo confiar tudo a ele.

- Ele é de uma CALMA sem fim na fala, e eu sou agitada. Daí as vezes, ele fala pausadamente de um jeito que eu não aguento e fico interrompendo ele toda hora, e ele ODEIA que eu o interrompa.

- Quando "dou uma de brasileira", saindo de short na rua, ou qualquer coisa que ele considere muito sensual (coisa que eu já nem faço). Ele por exemplo não gosta muito que eu tenha 3 brincos em cada orelha.


Alguns dos motivos que eu fico mais chateada com ele:
- Ele é bem dramático. Eu me achava a rainha do drama, mas eu sou só a dama de honra do drama. Porque ele é o Rei do Drama. Daí eu fui perceber no quanto o brasileiro é mais seco e racional. Aqui a mãe morre, estamos doentes, acontece um desastre natural... e pra gente o lema é: "Poxa, que triste, vamos ajudar... MAS VIDA QUE SE SEGUE! Trabalho e estudo vem antes.". Percebi que na Turquia as pessoas tendem a ser mais emotivas mesmo, elas se mobilizam com as mais pequenas coisas.
Eu fico resfriada e mal tomo vitamina C. Ele fica resfriado e já quer todo aquele cuidado especial, sabe? Tô aprendendo com isso... Ele é de fato mais emocional, mas percebi uma certa tendencia dos turcos mesmo (não estou generalizando, ok?)

- Ele tende a ser mais discreto. Eu gosto de postar foto, vídeo, escrever declarações de amor pra todo mundo ver mesmo. Já ele é mais de fazer as coisas só pra eu ver, e não pras pessoas. Ele é muito envergonhado nesse ponto, e às vezes, sinto falta de demonstração pública de afeto, sabe?

E mais algumas coisas

Então deixo aqui 6 PASSOS QUE AJUDAM A LIDAR COM AS BRIGAS:

1) Ao conversarem, se você ficou chateada com algo que ele disse, tenha sempre em mente que em muitos momentos você pode ter entendido errado, por causa da barreira linguística. 
Especialmente pros casais que não falam uma língua em comum. Mas mesmo que vocês falem muito bem inglês, tenha em mente que aquela não é a língua nativa dele, nem a sua, então erros desse tipo são MUITO comuns. Releve, tente fazer com que ele refaça a frase e seja mais tolerante com a possibilidade de significado que aquilo pode ter

2)Evite expor demais os problemas de vocês. 
Uma coisa é desabafar com quem você confia. Outra coisa é ter uma briga besta e colocar lá "solteiro" no Facebook, como eu fiz uma vez. Sorte a minha que ele leu, riu e disse:
"Jessica, esse assunto de decidir se vamos ficar juntos ou não, já foi decido. Já passamos da fase de escolher com quem queremos ficar, ou nos casar. Nossa fase agora é de fazer isso se tornar real".

Mas numa dessa, vai que ele decide levar o novo status a sério? Depois não podia nem reclamar, não é verdade? Nosso problema é achar que a paciência de quem amamos é infinita, mas não é. Um dia ela pode acabar e você ficar culpada por algo precioso que tinha, mas que não tem mais.

E tem uma frase muito legal que meu amigo me disse uma vez "Publicar as coisas? Eu não. Não crio provas contra mim mesmo". E é isso mesmo, as coisas que você reproduz e documenta, uma vez que lidas ou salvas, ficam ali, e as vezes voltam pra nossa vida e só fazem atrapalhar.

3)Não adianta brigar, criticar, falar mal ou achar um absurdo a cultura do outro.
Isso é perda de tempo e altamente destrutivo. Adaptações DEVEM acontecer. Mas querer mudar a origem do outro é burrice. Ou você aceita a pessoa e tudo o que vem junto com ela, sem a esperança de "Um dia ele vai ser um perfeito brasileiro", ou "Um dia ela vai agir como uma turca", ou lá na frente as coisas podem ficar mais complicadas.
As pessoas melhoram e se adaptam. Mas se isso acontecer é um bônus, algo extra. Mas entrar num relacionamento, já pensando nas mil coisas que você quer fazer o outro mudar, é furada. Especialmente num relacionamento inter-cultural. Se pra você é ridículo e absurdo o Ramadã, por exemplo, já te aconselho a repensar se é isso que você quer de verdade.

4)Se estão em países diferentes, de duas uma: Ou ele larga tudo e vem ou você larga tudo e vai.
Qual dos 2 pode e está disposto a fazer isso? Nenhum dos 2? Então pense duas vezes antes de levar isso mais a sério, pra você não sofrer mais tarde. Claro que quando eu comecei a falar com o Emre, NUNCA imaginei que daria nisso tudo. Mas deu. Imagina se os 2 tivessem impedimentos, como iria ser dolorido achar alguém tão especial pra depois abrir mão de tudo? Você tem o direito de viver, mesmo que sejam alguns meses, algo especial assim. Se você já se sente bem em ter uma data limite pra esse namoro, acho até válido. Mas para mim, seria muito doloroso. Você é que bem sabe do que te faz bem e o que quer é, claro. Ninguém tem nada com isso. Mas acho que vale a pena pensar a respeito.

5) Aprenda a confiar e entenda que o outro tem uma vida além da internet. (Não disse aqui: seja uma idiota e acredite em qualquer coisa, hein!)
Se tiver que pedir a senha (sem briga), peça e compartilhe com ele a sua também. Se tiver que pedir pra ele traduzir o que foi que ele disse, o que foi que aquela amiga dele escreveu, peça. Se quiser ligar pra dar um oi, quando ele estiver com os amigos e ver se ele diz que te ama, sem falar com aquela voz quase que muda (pra ninguém ao redor ouvir), ligue. Mas também aprenda a confiar. Pode até ser que a SUA vida tenha se tornado apenas viver no computador. Não significa que a vida do outro tenha que ser do mesmo jeito. Se ele não aparece nunca, desconfie e interrogue. Se ele aparece de maneira constante, mas poxa, as vezes quer sair, ver um jogo de futebol, ou apenas ficar em casa com ele mesmo um pouquinho... não implica. Até você precisa desses momentos também, por mais apaixonada que esteja.

6) Veja bem o que diz, e o que digita.
Uma vez que a palavra é dita, ou digitada, não tem como voltar atrás. O que ficou digitado no e-mail ou no histórico de conversa então... esses são danados pra causar brigas lá na frente.


E mais uma série de outras coisas que posso não ter me lembrado aqui.

Se eu consigo fazer tudo sempre? Claro que não. Mas é onde quero chegar. Porque não quero deixar nada estragar algo tão bonito que Deus me deu. Estou muito orgulhosa de mim mesma, porque o Emre tem dito que estou melhor em algumas coisas. Outras ainda tá difícil, viu. Mas eu tinha dificuldade de pedir desculpas pra ele. E já fiz tanto isso com os outros, já magoeei tanto as pessoas, que já passou da hora de eu colocar mais em prática os valores de saber pedir desculpas e aprender a perdoar. Estou me esforçando...

Pensem direitinho minhas queridas e queridos. Força na peruca!
Beijooos mil!

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

"Erkek Arkadaş", o verdadeiro significado de "Namorado"

Mais uma pro nosso vocabulário. Em turco "namorado" se escreve "erkek arkadaş" (e se diz: erquék arkadásh).
E a melhor coisa do mundo, é quando quem amamos, quem está do nosso lado, quando nosso companheiro, namorado, noivo, marido... é também um amigo pra nós. Melhor ainda se for o melhor amigo.

Conversinha de madrugada no Gtalk
Aquele que ri com a gente. Que não quer competir conosco, mas aquele que torce com o nosso crescimento. Aquele que ao invés de brigar porque não está recebendo tanta atenção, mas compreende que, às vezes, precisamos nos afastar um pouquinho para poder estudar ou trabalhar. Aquele que, mesmo através da webcam, mesmo quando você está tentando esconder até de si mesma algum sentimento ruim, consegue perceber ou sentir que as coisas não estão bem, e não para de insistir até fazer você desabafar pra se sentir melhor, para depois te dar palavras de carinho e conforto.

A beleza atrai os nosso olhos e faz ferver o nosso coração. O exótico, o diferente, a distância... tudo isso faz o relacionamento com ares de "impossível", e isso parece que nos incentiva mais ainda a persistir. As belas palavras apaixonadas, repletas do romantismo de quem quase não vê os defeitos dos outro, ludibriam a nossa cabeça e pulsam no peito a tal ponto de você até acreditar que o coração vai explodir de amor.

Mas o bom mesmo, é sentir os meses e os anos passando, sabendo que você pode preservar essa doçura de namoradinhos recém-apaixonados, mas ver essa história de amor virar concreta, com planos a serem conquistados. O dinheiro a guardar pro futuro, o casamento, imaginar os filhos, pensar em como vai ser a casa... (Parabéns ao meu casal tããão amado Kátia e Murat pelo casamento! :)

Mas para construir a vida, eu tenho certeza, de que nada melhor do que ter alguém em quem se possa confiar, que juntos, vocês possam descobrir coisas. Aos poucos desenterrar os mais estranhos dos segredos sem julgamento. Rir das próprias gafes e das gafes do outro, sem desrespeitá-lo e sem ser desrepeitado. De alguém que possamos viver aquela famosa frase "case-se com alguém que você goste de conversar".

Ou seja, case-se com alguém que seja o seu amigo. Tenho a sorte de dizer que tenho ao meu lado, não somente  um homem que eu ache lindo. Mas tenho comigo alguém que eu admiro, alguém que eu confio com a maior tranquilidade, alguém que me faz rir, alguém que eu gosto de falar sobre todas as coisas, alguém que me ajuda até escolher roupa e a cor do esmalte (coisa que qualquer homem acha um saco haha), e que me faz querer ir junto até pra jogo de futebol e de basquete (o que pode ser meio chato pra muitas mulheres).

Achei um rapaz "erkek", que é meu grande amigo "arkadaş", e por assim sê-lo, traduz para mim o verdadeiro significado do que é ser "erkek arkadaş", um namorado. Isso nem sempre é tão comum, apesar de ser absurdo. Como namorar com alguém que não é um amigo de verdade? Alguém que não te entende, que não nota quando você está triste, ou que as vezes até nota, mas que muitas vezes não se importa em te dar um abraço apertado ou te dizer palavras de carinho?

Fico feliz que sejamos assim, e sinto tranquilidade no meu coração em tê-lo ao meu lado pra minha jornada de vida, pro meu dia-a-dia e pro meu futuro. Perfeita eu não sou, nem ele é. Nem sempre ele vai perceber tudo, nem sempre eu vou saber dizer as palavras que ele estava esperando de mim. E nessa hora ficamos tristes e ressentidos. Mas fora isso, que está dentro da margem do normal, não tenho dúvida do amigo que ele é. Não tenho mesmo, e mais do que um gatão de 1.86 de altura uhaiuahaiu, tenho comigo alguém que sente no meu 'alô' quando eu não estou muito bem.

Obrigada Deus, obrigada amor, eu sempre pedi por isso!

Beeeeijos beijos beijos

ps: tô postando de madrugada porque tava escrevendo monografia  até ainda há pouco =(

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Ser turcolover é... ser puxa saco!

Pra quem não ia postar nada porque não tem tempo, até que eu tô saidinha demais, né.
Ufff, Deus me defenda.

Se você, cara amiga:

- Se sente meio besta com essa coisa toda de 'estou amando um turco, e agora?'
- Vive puxando saco turco do seu turco
- Vive puxando saco da Turquia
- Vive puxando saco da cidade que ele nasceu,
- Puxa saco do time de futebol que ele torce (sou Fenerbahçe desde criancinha!)
- Fica tentando falar turco achando que está falando certo (mas muitas vezes falando tudo errado),
- Se pudesse comprava camisa, coleira, fazia tatuagem até na testa dizendo "I love a turkish guy"
- Só sabe ouvir Tarkan (faz favor, tem um post de música turca aqui pra ajudar, vamos mudar o repertório!)
- Escuta no noticiário um chamado pra oração, ou a palavra "Turquia" e sai correndo tropeçando pela casa que nem doida pra ouvir melhor...
- Só quer roupa vermelha (que de preferencia tenha uma lua e uma estrela desenhada nela)
- Tenta falar "Mashallah", "Inshallah", "Elhamdullilah", sem nem saber direito o que significa e como usar
- Tá com mania de tirar foto com pashmina na cabeça e coloca no perfil do Facebook só pra impressionar o askim.(Você queria ele vestido de padre no perfil do Facebook dele? Você vai mesmo se converter e virar muçulmana? Olha que nessa você ilude o seu amor hein...)
- Fica fazendo montagem colocando metade da sua cara de um lado, metade da dele no outro

O segundo presente que ele me enviou (Carta + Foto + Rosa + Boneca de Pano). Essa é a nossa filha Nina :p

Daí a turcolover aqui, CLARO que pegou a boneca, colocou ao lado do monitor do computador, abriu a foto dele e fez o "momento família feliz - oi, eu tenho 5 anos de idade" hiauahiuahua

- De vez em quando se pergunta "Ok, mas não pode ter 4 esposas não né?" (NÃO. Não pode)
- De repente acha que a Turquia é o lugar mais maravilhoso do mundo, a terra prometida (E as vezes, você nem foi lá ainda. E se foi, só lembra de coisa boa - a grama do vizinho é SEMPRE mais verde, né?)
- Se você usa toda sua malemolência latina e fica vendo videos do youtube, querendo a QUALQUER CUSTO remexer na dança do ventre que nem essa fulaninha aqui - que dá até ódio, de tanto que dança bem rs - mas no final acaba dançando consegue no máximo dançar que nem a Sheila Carvalho ou a Carla Perez naquele clipe "Ralando o Tchan" que eu me recuso a colocar aqui o link hahaha.
- Se você fica revirando a internet tentando achar blogs, grupos, pessoas que passem pelas mesmas coisas
- Se a primeira busca no Google que você fez sobre o assunto foi "casamento de brasileira com turco", e não sobre a história da Turquia
- Se você manda e-mail pras donas dos blogs pedindo 'pelamordideus me ajuda!'
- Se você olha o perfil dele de 5 e 5 minutos e fica lá babando nas fotos
- Se você fica tentando traduzir as coisas que lê no perfil dele (especialmente de for mulher postando) e morre de ódio do Google Translator porque não traduz nada direito e você não consegue entender direito, nem por um milagre, o que está escrito ali de verdade
- Se você improvisa no porturclês "Oi askim benim, i love you muito!"
- Se você ficando beijando a tela, abraçando o laptop e olhando pra webcam numa tentativa de estar mais perto
- Se você acha que qualquer hora vai surtar com isso tudo
- Se você falou com UM turco, e já começa a falar "porque OS turcos isso, porque OS turcos aquilo", como praticamente uma especialista, estudiosa reconhecida e renomeada da antropologia e da sociedade turca


MEUS PARABÉNS!
Você pode se considerar uma turcolover. Tudo bem que a muitos dos itens aí, é bem no comecinho de carreira, onde convencionou-se chamar de chamar de "Turcolover nível 1 - iniciante" hiauhaiuahua.
Depois os puxa-saquismos vão mudando de nível.
Puxando o saco: Foto dele e bandeirinha na Turquia, que ele comprou pra ajudar uma Instituição de lá, quando eu tava em Istambul, e que ficou como presentinho pra mim. Fica sempre na minha carteira :)

Mas não tem jeito, vira e mexe você se pega (outra vez) fazendo as mesmas coisas dos itens acima.

Vai vai entra no DNA!
Beijooooooos girls!

sábado, 19 de novembro de 2011

Sentindo os pézinhos em Istambul: Video Mesquista Azul / Santa Sofia

O Jack deve estar ocupado lá com as coisas dele tadinho, ou então só aproveitando o final de semana dele, e eu senti falta de ler e ficar rindo meia hora com as coisas que ele posta então, aproveitei que o capitão do mato tá dormindo, a sinhazinha não quer nada agora, e saí do tronco e vim correndo postar, porque né, adoro vir aqui dividir as coisas.

Já que não posso ficar muito tempo nessa vida mansa, vim postar outro videozinho.
E esse é pra dar tremeliques de ansiedade pra que nunca esteve em Istambul, ou pra matar de saudade quem teve a chance de estar aí (como eu!).

video

Observem:
- Estamos na pracinha de Sultahmet, perto de 2 dos lugares mais visitados e que eu mais gostei de estar: Mesquista Azul e a Basílica de Santa Sofia (Hagia Sophia / AyaSofia)
- As pessoas em volta. Alguns rapazes jovens passeando, algumas famílias, mulheres de hijab, meninas sem hijab, crianças gritando "anne" por todos os cantos. Orgulho em ver essa diversidade cultural/social/religiosa convivendo em harmonia.
- Olha que lindo o chafariz em frente a pracinha!
- O verde e as flores... não aparece, mas as tulipas (as famosas tulipas!) são lindas de morrer.
- A amadora aqui achando que fala TUDO de turco.
- O pobre do meu namorado tentando soltar suas palavras em português por pura e espontânea pressão :p


(As minhas favoritas são: "Dissscul-pa, éo náo seiy falahhhr portu-gueiiiiis" e "Vó-cé é méo bebezinhoomm")
Porque namorado é feito pra isso: aguentar nossas TPM's, cuidar da gente, e pagar um mico vez outra!


Eu sentada nos banquinhos em frente à Mesquita Azul. Um frio de lascar!

Pátio da Mesquita Azul. Onde as pessoas tirar os sapatos e fazem a ablução (tem umas fontes de água pra isso)

Dentro da Mesquita. É lindo de morrer! Esse lenço eles dão na entrada, mas nem todas as mulheres colocam, eu  preferi colocar - de leve) Ps: Lembrem que uma foto tirada de baixo pra cima SEMPRE deixa a gente meio gorda.

Dentro da Basílica de Santa Sofia. Aquelas letras árabes, são escritos religiosos do tipo "Allahu Akbar = Deus é grande/Deus é o maior" e "Muhammad é o seu profeta". Ao mesmo tempo tem uns desenhos de anjos e santos católicos, dá pra ver?

A visão do interior de Santa Sofia pra fora.

ha-ha gracinha dentro de Santa Sofia

Mais uma da Mesquita Azul mais de longe

O chafariz liiiiiiiindo, ao por-do-sol com a Santa Sofia ao fundo

Aí da pra ver melhor as flores da pracinha :)

Beijos! Tô indo lá, porque já ouço a música de entrada da "Escrava Isaura" outra vez, e os passos do Capitão do Mato se aproximando.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Meu "oi" em vídeo pra Nação Turcolover

Tô correndo, tô correndo, tô correndo...
Mensagem minha meio besta só pra algumas coisas:
- Dar um Oi!
- Falar rapidinho de porque e como comecei com o blog
- Agradecer a quem tem torcido e/ou orado por mim
- Outras considerações

É com essa pessoinha aí que vocês tem interagido nesse tempo. Prazer em conhecê-los.
Tô vivendo um momento de verdadeira agonia, mas tenho aprendido muito sobre mim, sobre a vida, reaprendido diversas coisas. Especialmente sobre as coisas, pessoas e situações que merecem a minha atenção.

Faz bem dar uma reciclada de vez quando. E é isso aí, eu sigo no meu caminho, sigo em paz...

Pros que me amam, que gostam do que eu digo, que torcem por mim, que veem com carinho o meu jeito meio besta de ser, pros que me oferecem a mão quando eu preciso: todo o meu carinho, o meu muito obrigada, meu grande beijo e o meu sorriso. Certamente eu sei o significado da palavra gratidão, e nunca nunca nunca  me esqueço do apoio, da ajuda, da força, do abraço que me oferecem. Podem sempre contar comigo, sou alguém que erra, mas alguém do bem. Sou alguém que as vezes escorrega, mas que se o faz, não faz por maldade.

Pros que tem prazer em me alfinetar (quando na maioria das vezes, eu sou incapaz de fazer o mesmo), pros que falam mal de mim, que estão torcendo pra algo dar errado... Não percam seu tempo comigo, ele é muito precioso. Dedique-se ao que tem valor na sua vida. Pode deixar, que eu não vou fazer nada contra você, não é da minha personalidade. Simplesmente, esqueça que eu existo (e isso inclui não perder tempo com maledicência ou tramoias contra alguém que só tá tentando achar o seu caminho) e seja feliz.

Você fala mal dos outros e acha ruim quando falam mal de você? Você mente, e não gosta quando mentem pra você? Você é injusto e reclama de injustiça? Você ataca, e não gosta quando se sente atacado?
Tá na hora de repensar...

Na noite mais escura, no mármore mais escuro, na formiga mais escura, Allah vê.
 (Tio Ali, O Clone) 

Uma beijoooooooooca a todos, sei que o vídeo é longo, portanto nem eu te culpo se não passar nem da metade. Já vooooooooolto, cês esperam eu? Enquanto isso o Jack vai fazendo a gente morrer de rir hehehe :)

Vamos lá turcolveeeers, vocês conseguem!

Valeria e Janete: Muçulmanas decididas!

Bom dia a todos os leitores deste blog!
Bom dia a redatora chefe, Jess, que esta a finalizar seus ultimos oficios em terra de Tupiniquins!

Num brainstorm frenetico, eu e minha chefe Jess (hehe) conversavamos sobre a importancia da mulher na Turquia. Conversa vai e conversa vem, decidimos escrever algo para esta tangente. Obviamente que descaracterizar-se-a, tratar mulher na Turquia e nao conecta-la, directamente, ao İsla mas vamos la! (İsso mesmo... é como ligar uma tomada).

Dai chega a hora em que voce se pergunta: Ta Jack, mas eu sou brasileira, catolica de formaçao e nao sei nada de İslamismo, como assim estou ligada directamente a ele?
E eu respondo: Acalme-se! Mostraremos agora uma paleta de cores e opçoes. Vamos mostrar como voce é vista pela religiao e desta forma lhe daremos um pouquinho mais de bagagem para que a sua mudança de um pais catolico nao seja tao sofrivel, para um pais İslamico.

Para dar enfase ao meu datilografar, convido duas amigas que voces beeemm conhecem: Valeria e Janete!



Aplausos para elas que farao uma breve apresentaçao do projac antes de me ajudarem! Assistam:

http://www.youtube.com/watch?v=j_rs7lro78E

Vamos aos factos agora?

1 - O alcorao sagrado em 4:34 diz:

  • "Os homens sao os protetores das mulheres, porque Deus dotou uns com mais força do que as outras, e pelo o seu sustento do seu peculio"


Jack - "Caracoles Valeria!" Com isso eu ja consigo ate presumir de onde vem esta forma "diferente de amar", como aqui é conhecida que eu particularmente chamo de possessao! Mas bacana... cabe ao homem a obrigatoriedade de proteger a mulher...

2 - Em uma sociedade muçulmana, o marido tem a completa responsabilidade de sustento de sua familia, o que a esposa ganha ou possui ficam com ela.

Jack - "O destino... tu ta de sacanagem comigo?" Gente... mas isso eh tudo nao? Olha que sonho: Teu marido rala pra sustentar a casa... tudo o que tu ganha deve ficar contigo! (Outlets de İstambul, abram alas para a mulherada!)

3 - A mulher tem seu dominio de casa onde ela tem a iniciativa, mas ela tem que considerar o marido como o responsavel dos assuntos gerais da familia.

Jack - "Eu ja nao te falei que o Waldemar morreu?" Ta, vamos dar um creditozinho para os homens tbem... deixem ele decidir algo! : ) - esta parte exprime o seguinte na verdade: Dentro de casa quem manda é o homem. Geralmente os homens fazem os pedidos para as mulheres até em restaurantes (é o que tenho visto bastante por aqui).

4 - O profeta Muhammad diz tambem que: "A melhor esposa é aquela, que quando voce a olha sente-se feliz, quando voce pede algo ela bedece (ja vou falar sobre isso... calma ai leitora!), ela proteje seus direitos e guarda a sua castidade quando o marido esta ausente"

Jack - "Ai como eu to bandida!" Para tudo! Para tudo profeta... Que babado é esse aqui? Escrava? Guarda a castidade? E o homem deve fazer o que nessa hora em que ela ta o servindo e guardando a castidade? Sabe que na familia de meu companheiro é bem assim: As mulheres servem ao homem o tempo todo... Eu ate gosto servir... amor servir... mas pelo simples motivo de agradar e nao por ser obrigatorio... Nao gostei profeta, vamos revisar esse babado aqui hein...

5 - O papel da mulher muçulmana no lar tem muita importância para a felicidade do marido e o bem estar e desenvolvimento físico e espiritual das crianças.

Jack - "Olha aqui balbuina guerreira!" - Para o mundo que eu quero descer! Como assim caracoles? E a felicidade dela fica como? "Sou um androide, fui criada para servir!" É engraçado mas as mulheres que nasceram desta religiao tem prazer em servir ao homem... entao meninas... ja vao se acostumando mais ou menos com a ideia... ao menos que teu broto seja um fake... mas enfım... nao sou contra o servir mas sou contra essa falsa felicidade sabe, de que servir é o seu papel...

6 - A mulher é poupada da luta cotidiana do trabalho e sobrevivencia no ambiente competitivo dos homens para que ela mantenha a sua saude mental e equilibri necessario para educar e formar o carater das crianças, deste comportamento da sociedade das proximas geraçoes.

Jack - "Ahhhh (Risada com aqueles olhinhos da Valeria)" Eu entendi direito? Como assim a mulher é poupada do trabalho para que ela mantenha a saude mental...? Pois bem, acho que isso poderia ser mais direto: Mulher nao pode trabalhar aonde e onde tem homem para la é um local de loucos.

Abaixo coloco mais alguns topicos a serem debatidos mas deixo para voces o fazerem... O topico 8 nao me agradou muito...


7 - As mulheres são predispostas geneticamente a reagirem a estímulos de maneira diferente do ser masculino.

8 - As que protestam pela emancipação feminina, alegam que o equilíbrio nas relações entre os sexos é sinônimo de repressão e dependência das mulheres.
O Islam ao contrario, testa que este equilíbrio tem sua origem em fatos imutáveis, e que ele não pode ser alterado, porque neste caso, surgiria uma quebra na lógica dos relacionamentos entre o homem e a mulher.
Se uma criança do sexo feminino prefere uma boneca ou outros brinquedos representem ternura, carinho ou delicadeza, não é por imposição machista mas sim por pré disposição instintiva que se originou em sua formação da identidade intelectual.
Seria violentar a sua natureza, que se tenta-se em nome da ''igualdade dos sexos'', presenteá-la com um par de luvas de boxe.
Da mesma maneira seria desastroso para a natureza da mulher tentar impor-lhe em uma sociedade as mesmas atribuições que se impõe á um homem.
Infelizmente está prática é comum nas sociedades que se auto denominam ''progressivas'' acarretando a elas, as conseqüências dos
malefícios tão conhecidos; degradação da família, delinqüência juvenil, toxicomania, alcoolismo, distúrbio da personalidade, homossexualismo, etc...
Somente através de uma ação conjunta entre célula familiar, escola, entre outros, podemos estabelecer iniciativas de reeducação para compor um equilíbrio entre os sexos.
Particularmente o núcleo familiar assume um papel de especial importância nesta tarefa, pois é o primeiro grupo de influencia com o qual as crianças tem contato.
É a obrigação dos pais informarem-se a respeito das diferenças que existem entre igualdade e equitatividade.
Estes dois princípios, cuja a compreensão faz-se necessária, para que possamos por de um lado as falsa noções de igualdade e estabelecer a justiça entre os sexos como parâmetro na educação familiar.

Mas é assim meninas e meninos... 
Analisem com carinho antes de se jogarem neste mundo "louco de ideias"!

Por outro lado, nem todos sao praticantes-mega-fervorosos da religiao aqui entao se o seu broto pensar mais ocidentalmente voce tem a chance dele nem saber destas coisas!

So preparem-se para uma vida diferente, nao é isso Valeria e Janete? : )
Deem tchau para suas leitoras e agradecemos a participaçao de voces aqui!







domingo, 13 de novembro de 2011

Armadura de bronze - anti melancolia.



Ola meninas, tudo bem? Como estao passando o domingo?
Jess... aparece, quando puder, para dar uma respirada em nossa arte conjunta aqui! : )

Gostaria que voces assistissem a este video antes de continuar a leitura:

http://www.youtube.com/watch?v=Rk_sAHh9s08&ob=av2e

Quando a gente esta ainda no Brasil, momentos antes da partida para nosso destino final (Turquia ou qualquer ele que seja) estamos a todo o vapor... fazendo de tudo para que nada de errado. Cada segundo parece que é uma eternidade e o tempo nao passa nunca... (Ah se o tempo pudesse correr né meninas? ).

Tudo esta correndo bem, sua fonte de energia dos antigos amigos e da familia estao carregadissimas e voce esta pronta para ficar longe deles.

Voce arriva no Ataturk international airport e tudo é maravilhoso... alguem te recebe, voce caminha proximo ao Bosforo ou vai a alguma atraçao local e, por um tempo, voce consegue fazer isso como se fosse novidade... como se fosse a primeira vez (ainda que voce ja as conheça!).

O tempo vai passando e as novidades tornando-se corriqueiras... entao voce se da conta de que caminha ao lado do Bosforo e nem o enxerga mais... quando é convidado para uma atraçao local ja nem faz mais taaanta questao assim e neste momento a bateria carregada com os niveis familia e antigos amigos vai-se reduzindo.

De vez em quando voce tem um insight sobre algum momento de amizade sua do passado quando voce ve jovens turcos brincando, sorrindo e curtindo e neste mesmo cenario, voce ve um pai de maos dadas com a filha pequena que, de longe, enxerga a sua mae e com um sorriso estampado de orelha a orelha, sai correndo para um abraço apertado.

Sua bateria começa a desgarregar e voce começa a ligar o alerta - EPA... TEM ALGUMA COİSA ACONTECENDO! EU NAO ESTAVA ASSIM... EU NAO ERA ASSIM...

E é neste momento em que voce deve vestir a sua armadura de bronze... aquela que voce preparou e colocou na sua mala.





Passam-se uns dias e voce se da conta de que tem novos amigos e uma familia postiça mas te bate uma saudadezinha das pessoas especiais que te virar crescer e que cresceram contigo. Bate saudade daquela piada bem brasileira e do simples fato de escutar um "Ola, tudo bem?".

Para que isso seja mais suave com voces, lhes orientarei em como preparar a sua armadura:

1 - Encontre seus amigos e pessoas especiais.

2 - Encontre a familia e passe tempo com eles.

3 - Diga a todos os amigos e a toda a sua familia que os ama e que estarao sempre no coraçao.

4 - Traga fotos e amuletos... algo que te coloque pertinho deles quando sentıres saudade.

5 - Nao perca contato com eles (seja por MSN, SKYPE, FACEBOOK) ou qualquer outra rede social.

6 - Se voce se sentir triste, recorra a algum novo amigo ou conhecido e conte tudo o que sente... nao sofra sozinha!

P.s. Em 1 mes, eu perdi tres amigos (dois de infancia e uma da faculdade) e nao estava la para dar um abraço na familia e nao tive tempo de dizer a eles o quanto eles eram especiais portanto, nao cometam o mesmo erro que eu!

Se montarem a sua armadura de bronze, vencerao sempre o inimigo melancolia!
Boa luta a todas!




sábado, 12 de novembro de 2011

Como amarrar um turco.

Ai ai... ja estava morrendo de saudades de voces e vim correndo aqui postar! : )

Como amarrar um turco? Alguem sabe?  Vou entregar as cartas das duas mangas para voces!
Eu amarrei um aqui beeemmm bonito que eu carinhosamente chamo de snoop!



Entao, os turcos sao apaixonantes. Eles sao doceis conosco e uma fera com qualquer um tipo de concorrencia. (prometo um post sobre o tema: "Como domar uma fera-turca-enciumada" ok?)

A gente vive um conto de fadas ate um ponto do relacıonamento... depois o conto de fadas vai virando vida a dois (uma maravilhosa vida a dois) mas como fazer para a vida ficar maravilhosa ao lado do amado?

Uma das coisas que me chamaram a atençao com o turco foi: ele nao se encheu de mentiras para se mostrar experiente... muito pelo contrario! (No Brasil os homens precisam se mostrar experientes sempre. No sexo nao e diferente... dai acaba saindo sempre aquele sexo meio mais ou menos nao?)

O romance começa, os dias passam e voce entra n'um dilema: sou normal como qualquer outra pessoa ou sou uma peça rara na vida dele? (Eu me pergunto isso pois quero ser pra sempre peça rara e acredito que voces tambem queiram ser!) entao seguem 10 pontos que devem ser levados em consideraçao:

1 - Traçe o perfil do broto,
(Do que ele gosta bastante e do que ele detesta?).

2 - Nunca tente concorrer com a familia dele que voce vai, facilmente perder!
(A familia na Turquia possui uma relaçao muito bonita... eles tem o maior respeito pelos familiares, principalmente pelos mais velhos.)

3 - Nao esqueça que, se o amor aconteceu entre voces, vai ser contigo que ele vai querer construir uma familia! : )
(Voces falarao de varias coisas: casamento, vida a dois, fihos etc et al)

4 - Essa e de ouro para mim! Cozinhe! Seja uma chefe de cozinha que o broto nao te larga nunca mais!!!  : )
(Cozinhando a gente amarra pelo estomago! Juro! : )  )

5 - Receba muito bem os amigos dele.
(Seja agradavel, prepare pratos deliciosos que eles te encherao de elogios e teu broto vai ficar muito realizado, feliz e contente! )

6 - Nunca elogie outro homem!
(Jamais toque no nome do ex e nunca elogie outro homem (nem mesmo o Tarkan ou o Murat Boz! )

7 - Aprenda sobre a cultura turca.
(Ele vai ficar super contente se voce mostrar interesse no que ele tem a oferecer.)

8 - Prepare çay e esqueça a carne de porco!
(Prepare cha o tempo todo... eles tomam milhares de chas ao dia mas por favor: nunca cite porco... voce nunca comeu e voce nunca vıu um, ok?).

9 - Mostre seus amigos,
(Turco e desconfiado ate o dia em que ele conhece seus amigos... se nao fizeres isto ele vai sempre achar que foı um peguete teu! )

10 - Seja voce mesma e nao seja submissa!
(Seja autentica e inovadora. Use aquela panela velha que ele guarda da tatatatataraavo dele.. Satisfazer nao quer dizer submissao... conheço algumas mulheres submissas e assim nao sera legal para voce!).

O resto a gente ja sabe como fazer mas se alguem tiver alguma duvida... pode mandar!

É isso ai meninas.
Algo em especial que queiram tratar ou saber? Pode pedir que aqui falamos sobre tudo!



Öp a todas!


Hoşgeldiniz kızlar! Bem vindas ladies!



Ola minhas queridas leitoras!

Primeiramente gostaria de agradecer a Jessica por me permitir fluir as ideias neste espaço tao maravilhoso. Obrigado pela confiança Jess! : )
(P.S. Eu aprendi muuuiitttooo sobre a Turquia, antes de vir pra ca neste espaço, que agora ganho espaço para ensinar!! amo amo amo!!)

Segundamente, gostaria de convidar a todas para apertarem os cintos e aproveitarem esta viagem. Uma fantastica viagem ao universo "Y" da Turquia (com um "Q" de "XY" num mesmo codigo genetico conhecido popularmente por Jack! : )
Entao, para dar uma pincelada geral sobre os homens turcos lhes adianto uma coisa: falam palavrao e usam termos de bandalheiras quando estao entre eles. Cito um exemplo da primeira vez que estive entre homens por aqui e eles estavam conversando em turco (como diz a Jessica, eu estava com cara de alface, sem entender o que diziam) mas entendia o sentido da coisa pela expressao corporal. Surge entao a seguınte pergunta partindo de particulas salgadas de uma boca beemm masculina em direçao a minha orelha externa : "Lafı kıçından mı anlıyorsun?"



(PARA TUDO NESSE EXATO MOMENTO).

ISSO... PARA DE LER E RELAXA UM POUQUINHO..

DEİXA DE SER CURİOSA... PASSE ESTA BARRA DE ROLAGEM DEVAGAR.

POSSO TRADUZIR?


"Voce esta me entendendo com seu "traseiro"? "(Isso quer dizer: Mas voce nao fala turco, como estas entendendo? Foi neste exacto momento em que me dei conta: homens sao todos iguais quando estao entre eles : )

Fiquei bege, passado, cor-de-rosa com mostarda na paleta da mistura de cor de burro quando foge com verde. Mas tive que sorrir bem lindo e dizer: EVET (SİM)!

Risos!

Mas conversa vai e conversa vem, falavamos sobre o que os homens querem e o que as mulheres querem e eis que os turcos me confessaram coisas super sımpaticas e aqui vai:
A primeira e: Eles querem casar com a Adriana Lima! (Todos querem!!),
A segunda e: Eles veem todas as Brasileiras como a Adriana Lima... ou seja: Eles querem as Brasileiras! Eles procuram por voces menınas! Eh ısso mesmo... voce que esta lendo estes alfarrabios agora!

Eles tem um sonho... todos eles tem... pode perguntar para qualquer turco... Eu coloco a minha mao no fogo se algum responder diferente: Eles querem encontrar a pessoa certa e se casarem... Eles gostam de romance e de ficar agarradinhos... gostam de serem servidos e o sorriso que eles produzem quando sao agradados eh -ı-m-p-a-g-a-v-e-l- !!
Eles te agradecerao por tudo... Se voce cozınhar uma comidinha gostosa, alem de agradar a sogra vai receber um "eline sağlık!" (Deus abençoe suas maos!).

Eles sao abertos a qualqer experıencia culinaria mas o cafe da manha... please... façam turco!

Bem... Estarei postando direto coisinhas aqui para voces se divertirem e conhecerem nosso universo!

Türkiye'de görüşürüz! Vejo voces mais tarde!

Öp! Öp!


Até logo, Jess! Olá, Jack!

Queridos e queridas, o post de hoje é bem corridinho, porque estou correndo contra o tempo.
Tenho algumas notícias e considerações a fazer a vocês.

Vamos lá!

1)Como está a vida de dona Jessica?
- Está corrida, no desespero para terminar a faculdade. Tô perigando de não conseguir passar agora, e ter que ficar mais 1 semestre. Portando, torçam, orem, pensem positivo por mim! Dia 08 entrego a monografia, dia 15 apresento e ainda falta MUITO a fazer. Minha cybermami Cibele, tem sido um verdadeiro anjo pra mim e me ajudado mais do que pode. Obrigada, Cici!
(Ah, acho que nunca disse meu tema: "Comunicação Publicitária Global entre o Oriente e o Ocidente: Istambul, Turquia)

Monografia mata!
- Emre ainda tá lá em Kirsehir, devido ao resquício do Festival do Sacrifício. Todo mundo voltou ao trabalho na quarta-feira, mas ele conseguiu uma licença e ainda está por lá. Mal temos nos visto, ou nos falado. Imagina como vai ser quando, ele for pro exército! :(

- Alguns acontecimentos familiares, como o meu vovô estar meio dodoi, um tio meu ter falecido ontem pela manhã, eu estar assinando as documentações pra finalizar a minha pensão alimentícia, e etc tão rolando por aqui também. Difícil...

2) E o que vai acontecer com isso?
- Não vou postar mais no blog, até dia 08 de Dezembro.

3) Comentários e e-mails?
- Tô devendo algumas respostas de e-mail e de comentário. Eu sei, eu sei... vocês me desculpam? Chegando Dezembro eu volto a responder (como se eu fosse A requisitada né? Mas é só pra vocês saberem)

4) Jack? Quem é Jack?
- Pois essa é a parte mais feliz dessa postagem. Jack, é um rapaz, que um dia me mandou um e-mail compartilhando um pouco da sua vida. Trocamos umas mensagens, e uns meses depois nos esbarramos num grupo no Facebook, pra minha mais do que feliz surpresa!

Hoje, somo amigos, rimos, compartilhamos, de tudo um pouco... É uma pessoa verdadeiramente iluminada, sabem? Daquelas que de longe a gente sente que tem um coração lindo, que é uma pessoa que tem Deus no coração. Agora ele já mora na Turquia, também por causa de um amor (assim, como a maioria de nós por aqui!) :)

Mega inteligente, escreve incrivelmente bem, uma pessoa do bem... e o melhor:

Jack, o James Bond "Turcolover"
Tá cheio de experiências pra contar, por um ponto de vista totalmente diferente: O PONTO DE VISTA MASCULINO.

Fala sério, nos infiltramos no campo 'inimigo', e agora teremos os segredos dos turcos revelados, porque temos um agente especial no lado de lá! Mua-ha-ha. Eles que nos aguardem, porque agora nada nos segura.

É isso, gente... Fiquem bem, aproveitem a experiencia do Jack... tô indo correndo que a monografia me chama.
Beijocas

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

A história do café da manhã turco que é almoço (ou vice-versa)

Eu nem podia estar vindo aqui postar, porque tô me quebrando em mil, pra tentar finalizar essa faculdade até Dezembro (se eu não tiver que finalizar a monografia a distância e voltar aqui pra defender depois - uff, facada no meu peito). Mas escrever aqui um pouquinho vai me ajudar a não surtar...

Vocês já viram um café da manhã turco, como é?







É desse jeitão aí. Geralmente com coisas do tipo:
- Pão (mas não cortadinho com faca, no meio, no estilo 'sanduíche' com tudo dentro não. É ele 'picado'. Indo com a mão e puxando os pedacinhos mesmo, em geral daquele pãozão grandão.
- Queijo (Não é tipo o Minas - apesar dessa foto parecer - nem o queijo amarelo. Muzzarela você encontra)
- Manteiga
- Azeite
- Tomate (é, tomate)
- Pepino (é, pepino)
- Azeitona (é, azeitona - eca!)
- Geleias de sabores variados
- Mel (eca²)
- E tudo o que há de bom (No melhor estilo Meninas Super-Poderosas, lembram? "Açúcar, tempero, e tudo o que á de bom...)

Chá Preto na Xícara "Tulipa" e essa visão maravilhosa!

Pra beber (Obrigadinha Ellen, pela lembrança ;):
- Chá (especialmente no frio)
- Suco (laranja, limão (o amarelinho, AMEI!), pêssego, cereja, uva... são os mais comuns)
- Ayran (URGH!, já citei sobre ele aqui )
- Café (Nem tanto como chá, suco ou Ayran, mas até que é possível - aquele café sem filtro que as pessoas lêem a borra dele depois)

Um dos pratos mais famosos, é o Sucuklu Yumurta (=Liguiça com Ovos). O 'sucuk' é uma linguiça, mas obviamente não é de carne de porco. Arde um pouquinho, como 90% dos pratos salgados que eu comi por lá (e eu sofria, aah como sofria). Não sei se foi bem o sucuk que a gente comeu que ardia, mas eu senti algo queimar. Logo, se você for à Turquia, e como eu, não gosto de pimenta (nem mesmo a do pimenta-do-reino que DIZEM que não arde nada - mas arde SIM), lembre-se desta palavra: BIBER (=pimenta).

Eu explicava, pedia "I don't like my food spicy, please".
Jessica mordia e pedia pelo amor de Deus por um copo com água.

Pedia: (tentando achar outro jeito de me entenderem)
"No condiments in my food please! It burns"
Jessica mordia, sentir o ardor, olhava pra cara do garçon, pra cara do Emre, e recebia aquela cara de "Que foi?".

Pedia:
"No condiments, i don't like spicy food, it burns you know... FIIIRE, fiiire in my tongue, burniiiing, do you understand?"
E adivinha o quê, o quê, o quê? Era ardido.

Até que eu aprendi a palavrinha mágica. BIBER. (se fala bibér)
"Yoook, biber, lutfeeeen. Hayir biber, hayiiiir" (Turco mal lavado: Não, pimenta, por favor. Não, pimenta, nããão!"
Kirmizi Pul Biber - Pimenta Vermelha em Flocos

Mas aí, ô da poltrona, Inês ja era morta. Já tinha passado o mês inteiro e eu comi tudo ardendo mesmo. Ia morrer de fome? Não é tipo comida mexicana (que aliás eu nunca comi, pelo mesmo medo) que dizem que arde muito. Mas pra que que eu vou comer uma coisa que arde minha boca, meu Deus? E não tem gosto, nem vem me convencer... não tem não. Isso só arde. Arder não é sabor, é masoquismo. Se eu quisesse algo que ardesse minha boca, era só comer palito de fósforo aceso, sei lá...

*Daí que eu enrolei e não falei do título*

Eles tem o hábito de tomar 'café-da-manhã' não importa a hora. O Emre me perguntou hoje:
- Amor, quando a gente casar, você vai preparar o café-da-manhã pra gente?
- (Eu já querendo ser a gringa chata rs). Pra que preparar? É só abrir o pão, colocar manteiga, queijo e tá pronto. Cada um pode fazer o seu.
- Como assim? Você não vai preparar o café da manhã pros nossos bebeks? (=bebês. Mas o plural certo é 'bebekler')
- Claro que eu vou preparar, um bebek é pequenininho. Você é meu bebek também, mas pode preparar o seu! Ou quer que eu prepare o café, o almoço, o lanche, a janta?
- Mas lembra aquele dia? Você acordou 11h, e eu preparei o seu café.
- Mas eu pedi pra não preparar, askim, de 11h pra 12, é muito pouco. E eu perdi a fome do almoço.
- Pra que almoço? Quando acorda é pra tomar café!
- 11h não é mais hora de café, é hora de almoço.
- Claro que não, se você acordar as 16h, vai tomar café.
- Hahaha, tá doido? Daí eu tomo um lanche e espero a janta.
- Hahahaha, tá doida? É café da manhã, ué!

E ficou nessa mais uns 10 minutos, até a gente se dar conta de que "Alôôôuuu, vocês são de culturas diferentes mesmo. Só descobriu isso agora, ou bateu amnésia?"

Daí ELE, miraculosamente, cedeu e disse...
- Tá boooom amor. Isso, 11h é almoço então. Aqui a gente chama de café da manhã, tá? A gente almoça sucuk com ovos e tá bom.
- Mas isso não é almoço, isso é café da manhã!

hahahaha, e lá se foi a conversa... uma hora parou. Mas as vezes a gente fica dando cabeçada mesmo, por estar apegado a nossa cultura. E por coisas bestas tipo 'o nome da refeição que você come seja lá que horas são' acontecem as briguinhas. As vezes agente entra da dança dos outros, as vezes passa um pouco da nossa, as vezes faz que não entendeu mesmo e tá tudo certo. O importante é se entender e respeitar o outro.

(ps: momento CÔMICO dos bastidores da montagem do post. Digitei 'BIBER' no Google Imagens e adivinha QUEM apareceu nas fotos? Não clique no link antes de tentar adivinhar por contra própria. Pensa bem uns 2 minutos... Biber.





Pronto, agora clica hiauhaiuahau).

Beijos meu povo e minha pova. Aparecem umas pedras no caminho, a gente dá uma topada, mas mesmo assim é pra continuar. Vamos lá. Torçam por mim! Beijocas lindezas :*

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

3 meses para A mudança!

Ainda dá tempo de postar? Tá quase acabando o dia...

Gente sei nem muito mais o que falar. Hoje, dia 04 de Novembro, marca a falta de exatamente 3 meses para eu ir pra Istambul e dar a maior virada que já tinha nessa minha vida de apenas 23 anos.

Como já disse duzentos e sessenta e cinco vezes: nunca imaginei que um dia daria essa volta de 180º
Se há (viu Relva, com H! rsrs) 2 anoas atrás alguém me diz isso, acho que ia dizer que a pessoa tá maluca, eu ia rir, sei lá o que eu ia pensar, mas eu não ia acreditar.

Por hora tá tudo bem por aqui, os planos, as listinhas de tarefas e afazeres estão indo bem, tudo tranquilo. Se DEUS quiser me formo no próximo mês. Meu coração já está bem mais tranquilo. Eu comecei sentindo muito a dor de ter que ir, pensando na minha família, nos meus avós, nos meus amigos, em tudo o que eu tenho. Tive muito medo, estava muito nervosa e bem chorosa, apesar de ser algo que eu quero muito. Mas passada essa fase, agora tudo começa a parece menos duro.

Apesar do Emre ir para o exército, o que pode parecer assustador, me sinto melhor, me sinto acalentada, me sinto apoiada por todos. E recebi uma enxurrada de carinho, mensagens e tal... muito obrigada a todos. Marília, Bulent (e Bia, a ciganinha mais querida do pedaço rs), Kátia, Marise, Jackson, Cici, Marcinha, Dudu, Gabi... desculpa MESMO se eu esqueci de alguem. Obrigada por cada mensagem que seja, mas não posso deixar de agradecer a todos. Em especial a minha família e ao meu amor, por me fazerem sentir tão acolhida.

Sinto que ainda falta um tanto, acho que quando chegar no último mês, é que vou surtar mesmo. Mas por hora, muita paz mesmo no meu coração.

Esse não é o típico post legal de ser ligo, mas preciso escrever, afinal isso aqui é o meu diário. E vou fazer meus filhos virem aqui ler isso tudo e dizer assim:

-Oh só, você viu tuuuuuuudo que sua mãe teve que fazer, pra vir aqui pro outro lado do mundo, procurar o espaço dela no mundo e tentar proporcionar uma vida melhor pra vocês? Tudo bem, que a recompensa era um HOMEM LINDO rs, mas não foi fácil não, hein? Diz que ama a mamãe todo dia e me enche de beijos :)

Tô muuuuuuito animada. Mal posso esperar pra:
- Comer Iskender Kebab de novo
- Sentir aquele friozinho gostoso
- Ouvir o chamado pra oração 5 vezes ao dia (eu amo, me faz lembrar mais de Deus, sabe?)
- Comer grãos de milho cozidos no potinho com tempero e queijo ralado
- Ver palavras cheias de 'i' sem pingo, 'g' com til, 's' com cedilha, trema no 'o' e no 'u'
- Ver um mundo de tulipas liiiiindas por todos os lugares
- Ver fotos, monumentos, nomes de ruas e praças do Mustafa Kemal Ataturk
- Ver aquelas turcas de babyliss no cabelo (enquanto a gente aqui quer alisar o cabelo)
- Pegar a barca e ir da Ásia à Europa em 10 minutos, ouvindo as graças cantando sobre o mar...

Muitas saudades de tudo e já saudade daqui também!

- Saudade do pastel de queijo, com caldo de cana
- Saudade do samba na casa do vizinho nos finais de semana (mesmo não sendo meu estilo musical preferido)
-Saudade da buzina do padeiro passando aqui na rua, onde minha vó, todas as tardes, compra pão e bolo pra gente tomar café
- Saudade de usar havaianas, não só pra ir na praia ou na farmácia, mas pra sair mesmo
- Saudade de guaraná, maracujá, goiaba e farofa-fa! :p

Saudade né... ainda não fui, mas já sou só saudade.

3 meses, lá vamos nós.

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Crônicas de Internet: o Skype, a Webcam e o Microfone

(alguém entendeu a piada do título? É referencia a "Crônicas de Nárnia: o Leão, a Bruxa e o Guarda-Roupa" Foi MUITO sem graça? hahahaha)

Gente, é permitido vir no blog, postar uma foto e pronto? rs

Vim dizer nada demais não. Hoje tivemos uma conversa tãããão boa no Skype.
Porque pra quem não sabe, até mesmo no namoro à distância, às vezes rola aquela coisa de cair um pouquinho na rotina, não tem jeito. Por mais apaixonado e próximo que o casal seja, como é o nosso caso, tem dia que nos falamos um pouco, ele fica trabalhando no PC e eu estudando, com o áudio e a câmera do Skype abertos, cada um no seu canto, fazendo suas coisas... quase como se estivéssemos na mesma sala, num dia normal de trabalho/estudo, cada um ocupado com o que tem que fazer, mas ali juntinho. Achando uma forma de compartilhar as coisas mais banais também! Acho isso maravilhoso... é estar presente em todos os momentos da vida um do outro, dentro das possibilidades.

Vou contar um segredo aqui, mas se vocês me chamarem de louca psicopata, nunca mais conto meus 'segredos' hein hahahaha. Umas 2/3 vezes, estávamos nos falando. Daí bateu um soninho tanto nele, quanto em mim também. Íamos desligar pra cochilar de tarde, mas sabe quando você não quer desligar, mesmo com sono, e quer ficar ali grudadinho no seu amor? Daí a gente resolveu tentar uma maluquice e cochilar com a câmera do aberta. E assim foi. Coloquei o notebook do meu lado, ele fez o mesmo com o dele. E tiramos um cochilo assim. Não foi a coisa mais confortável, mas era bom demaaaaaaaais se virar, abrir o olhinho de leve, e ver ali "perto" de mim o rostinho dele, que mais parecia um anjinho dormindo.

Daí a gente acorda com um sorrisão no rosto, feliz de compartilhar aos moldes do século XXI, um momento simples, mas que pra nós, é feito de muito carinho, de muita vontade de estar o mais próximos que podemos.

CERTEZA que se alguém entra no meu quarto e vê a cena, vai concluir que definitivamente eu estou maluca.
Até eu, se vejo uma filha minha fazendo isso ia berrar:
TÁ MALUUUUUUUUUCA, MENINA? HAVAIANA DE PAU NA TUA CABEÇA!
haiuahaiuahiauhaiuhau

Mas sério, a maioria das pessoas que ler isso aqui, vai mesmo achar ridículo ou infantil, mesmo que não comente. E tudo bem, eu entendo, e é isso aí... cada um com o direito de ter sua concepção.
Mas um dia um louco achou que a terra era redonda. Outro louco criou a teoria da relatividade. Outro louco queria voar e pensou no primeiro projeto do que hoje conhecemos como avião. Tá certo que não estou revolucionando a história da humanidade com essa loucura, mas o ponto é: não precisar da aprovação de todos os 7 bilhões de habitantes da terra, pra ser uma pessoa "normal" ao fazer aquilo que te faz feliz. Não faço mesmo questão de ser normal.

Faço só questão de ser do bem, mesmo com meu erros que são muitos, faço questão de fazer feliz aos que estão a minha volta, faço questão de ser feliz também. Do mais, tá tudo bem, pensem o que tiverem que pensar, digam o que tiverem que dizer. Não me afeta, não me deixa com raiva, nadinha. É só uma opinião diferente, que tem uma razão de ser, pelo background que aquela pessoa tem na sua vida. Ponto.

Não. Não, estou fazendo a pheena de cachecol. O nome disso é garganta inflamada.
Mas oh, vai ser MUITO maluco não, que não posso ficar tirando ninguém de hospício não, tá certo? Vamos ter um cadinho de noção nessa vida, que faz bem pra todo mundo! hahaha ;)

Beijos beijos beijos florzinhas lindas!

terça-feira, 1 de novembro de 2011

A Distância da Distância: Ele no Exército

Antes de tudo o prometido beijo pro meu querido amigo Jackson que tá lá em terras otomanas também, cozinheiro de primeira linha, e gente boníssima sem igual ao qual fico muito feliz em ter no meu círculo de amizades hoje em dia. Um fofo a enésima potência :) (Jack, cê tá mal hein, tá na hora de pedir beijo pra gente mais importante haha :p)
___________________

No último post falei sobre o nacionalismo da Turquia e nem imaginava o que estava para acontecer.
É, ele vai servir ao exército.

O simdi asker. Hersey vatan için. / Agora ele é um soldado. Tudo por sua terra natal.
Lá é obrigatório, como já disse antes. Portanto, mais cedo ou mais tarde ele ia teria que servir às Forças Armadas da Turquia de qualquer maneira. Não dá pra escapar, como é no Brasil. Aqui, com o famoso "jeitinho brasileiro", aqueles que não querem servir acham uma forma de serem dispensados. Vezes por um exame médico que detecta um problema, que nem é tão grave assim, ou simplesmente pelo pedido de ser dispensado... afinal sempre rola o excesso de contingente por aqui.

E realmente não temos guerras, não temos essa necessidade. Por isso que quando lemos notícias de guerras, ou se quer pensamos em ir para um país poderá entrar em guerra, temos tanto medo. Não é para menos. Mas não temos mesmo esse sentimento de "dever cumprido", da honra em servir ao país e ao povo com a própria vida.

E acho que é esse pensamento brasileiro anti-guerra que tenho, que me assusta mais ou pensar que ele vai para o exército. Tínhamos o plano de que ele fosse se alistar em Agosto do ano que vem, já que 4 de Fevereiro, tô chegando em Istambul. Era para ele estar lá me esperando chegar, me ajudando a me acostumar com a nova vida que me espera. Fora matar as saudades que a essa altura já me sufoca.

Esse mês completa 4 meses que ele esteve aqui comigo no Rio, e eu já ia entrar na contagem regressiva de só mais 3 meses até poder abraçá-lo de novo. Era uma sensação de alívio, de reta final. Mas esse sentimento se quebrou agora. Ele vai ficar meses interno. Entra agora em Dezembro e só sai em Maio. Logo, vou ficar lá 3 meses sem ele por perto nesse novo início de caminhada.

Não bastasse a dor e angústia da saudade que a distância nos impõe, teremos também os meios de comunicação cortados. Lá os solados ficam internos. Não voltam para casa todos os dias. E só saem do quartel 1 vez a cada 2 semanas, por 1 Domingo. Das 09h até as 18h. Depois precisam voltar. Sem telefones. Sem internet. Sabe-se lá em qual cidade do território turco. Cês imaginam isso? Se os MSN's, Skype's e Facebook's da vida, diminuíam a distância (ou pelo menos, TENTAVAM diminuir) agora, vai ser quase impossível esquecer a diferença de continentes e fuso-horário.

Se ao chegar lá, ao menos eu pudesse vê-lo todos os dias, seria muito melhor. Quase que como um expediente de trabalho. Mas não é bem assim. Especialmente porque ele pode parar lá em Van, na cidade do terremoto da semana passada, por exemplo. Existem 2 períodos que se pode ficar. 1 ou 2 semestres (uns 5 mesese alguns dias, cada semestre).

- 1 Semestre: Você pode ir pra qualquer cidade da Turquia. Entra como soldado, fazendo todo o trabalho pesado, mais dificil. No caso de guerra, são os que vão na linha de frente, claro...
- 2 Semestres: Segundo, o Jackson, o cara já entra como sargento, e portanto faz trabalhos menos difíceis. E de bônus pode escolher onde vai ficar.

Optamos por apenas um semestre.
Sim 'optamos', na primeira primeira pessoa do PLURAL, porque hoje em dia qualquer decisão que tomamos, tomamos juntos. Seja de trabalho, de estudo, de vida... sempre nos consultamos, não por obrigação, por esse sentimento de casal, de amizade, de companheirismo.

Vou passar meu aniversário, dias dos namorados (14 de Fevereiro lá), 2 anos de namoro... longe um dele. Não vou vê-lo me esperando no aeroporto com aquela emoção que faz o coração quase explodir, que sentimos das 2 últimas vezes. Não vou tê-lo me ajudando a me mudar, a carregar peso comigo das malas... Mas é uma dor inevitável. Acho que seria pior se ele fosse em Agosto e eu tivesse que ficar não 3, mas 6 meses na Turquia, e sem ele. A dor da família vai começar a apertar muito mais. Já vou ter saído daquele sentimento de "turista deslumbrado" e vou começar a entrar no sentimento de "cidadã turca", com afazeres e estudos (se Deus quiser!). Então acho que no começo tudo é festa, depois que vai ficando mais doloroso, né?

Tem também outra questão. A família dele tá doida pra casar ele. E ficam empurrando ele pra conhecer meninas turcas. Para parar essa pressão da família, ele disse que só queria pensar em casamento, depois que voltasse do exército:

"Imagina, se alguma coisa me acontece e estou casado? Como vou deixar uma mulher sozinha, recém-casada aqui? Seria muito cruel, não vou fazer isso".

Mustafa, Recep (quando estava servindo) e Emre. Foram visitar o amigo no quartel. 
E isso os silenciou por agora. Na volta, já vou estar por lá... então já podemos começar o plano, de eu ser apresentada a família e esperar que eles me vejam de uma outra forma. Peço muito a Deus pra que eles gostem de mim. Como já contei trocentas vezes, eles detestam essa ideia e já falaram que se ele se casasse comigo por exemplo, que não ajudariam em nada, que não estariam mais com ele. E pra ele isso é muito duro, e eu entendo. Não é isso o que quero. Meu desejo, era correr pra mãe dele chamar ela de anne (mamãe em turco, ou como as noras chamam as sogras por lá), encher ela de beijos e que fôssemos grandes amigas. Mas isso também está nas mãos de Deus.

Torçam e orem por nós. Pra que ele sirva em Istambul, Pra que possamos nos ver ou falar o mais frequentemente que pudermos, pra que depois do serviço militar tudo ocorra bem com a família dele e possamos começar a plenejar nosso noivado com o poio da família dele também. Mas acima de todas as coisas, o que eu MAIS peço a Deus é pra que ele nada de mal aconteça com ele durante esse período e que volte logo pra mim.

Conto com o pensamento positivo de vocês.


Beijooooocas a todos, e vou postando mais sobre isso. (Se eu ficar aqui choramingando de saudade, vocês não me xinguem não, tá? )