terça-feira, 3 de abril de 2012

E finalmente não há mais o que esconder

A família dele toda agora sabe de mim.

Há tempos que venho falando da dificuldade que temos em relação a família dele e o nosso relacionamento.
Até que no último post que falei sobre o assunto, cheguei a comentar que a irmã dele viu algumas das nossas mensagens no celular dele e contou para o pai. Como ele estava para ir para o exército e a mãe dele estava muito triste com isso, preferiram não contar nada a ela naquele momento.

Pois bem, o Emre correu, correu, correu... mas sabia que não ia conseguir prolongar isso por mais tempo. Uma hora, ele iria ter que falar para todo mundo e com todo mundo da família dele. Já passou da hora, na verdade, eu desde o primeiro dia achava que tudo tinha que ser dito. Mas sei também que cada família tem uma dinâmica, uma personalidade, e sei que as coisas funcionam diferente por aqui na Turquia. Cada uma de um jeito, claro. Umas super abertas, outras mais difíceis para o nosso entendimento... o importante é respeitar, e saber ter jogo de cintura para saber lidar com isso. Parece até coisa de família de muito antigamente. Não é a maioria, mas ainda existe.

O Emre, ainda está no exército, mas sempre fala comigo e com os pais dele também. Numa das últimas vezes, a mãe dele perguntou sobre a Yaren - a amiga com a qual divido apartamento aqui em Istambul, e que virou minha irmã! - e disse que queria ligar pra ela para saber como estava. Imediatamente, o Emre sentiu que daí alguma coisa poderia acontecer. E já ligou para a Yaren, a preparando para saber o que dizer e como dizer, caso a mãe dele quisesse saber de algo sobre nós.

Mês que vem ele sai do exército (finalmente!), e essa história da pessoa que voa escreve, vai se tornar mais real do que nunca. Então essa seria uma boa oportunidade para preparar a mãe dele para absorver toda essa história, que de simples não tem nada.


Pois bem, ela ligou uns 10 dias depois do que ela tinha comentado. A conversa dela com a Yaren no telefone, durou uns 40/50 minutos. Sendo os 2 primeiros minutos, para falar sobre a vida da Yaren em si. E começou, segundo minha amiga me disse, mais ou menos assim:
- Yaren, como anda a vida amorosa do Emre?
- (Risinho, de quem sabe que lá vem bomba) Hmmm, hehehe, vai bem, eu acho...
- Tudo bem, mas eu quero saber melhor. Toda vez que a gente fala de casamento com o Emre, ele fica sem graça. Já tentamos apresentar pra ele, filhas dos nossos amigos e vizinhos, mas ele nunca quer conhecer nenhuma delas. Não é possível, ele deve estar namorando alguma pessoa, você sabe quem é.
- (Yaren respirando fundo, porque lá vai a verdade completa, pela primeira vez): Beeem tia, ele está namorando sim, e acho que a senhora sabe quem é. 
- É, eu acho que sei sim...
- Pois é, acho que a senhora conhece a Jessica.
- Sim, eu conheço, ele está sempre falando com ela. Quando ele vem pra nossa cidade nos visitar, sempre vejo os 2 falando pelo computador até tarde. E quanto não tem internet, o Emre fica ansioso e sai logo para procurar uma internet cafe.
- É, e ela está agora na Turquia. Ela mora comigo na verdade, já faz 1 mês e meio.
- (Com a voz bem séria) Yaren, existe uma maneira de separar eles? [Essa me doeu, confesso!]
- Ô tia, não precisa pensar assim. A Jessica veio pra cá e nos tornamos verdadeiras irmãs. Já éramos amigas antes e sempre procurávamos manter o contato, mas agora que estamos morando juntas, estão tão próximas, e eu a amo tanto, somos tão próximas... estamos sempre rindo, brincando juntas, nos ajudamos, trocamos conselhos, damos força uma a outra. [Ela me encheeeeeu de elogios, tô devendo a ela uma fortuna de propaganda rs]

A partir daí, ela falou dos medos dela, e eu como sempre venho dizendo: eu consigo compreender perfeitamente. Que é difícil pra mim, eu sei perfeitamente. É lógico que eu queria muito que isso tudo já estivesse resolvido, que eles já tivessem me recebido de braços abertos e me acolhido da família deles. Mas isso é tudo o que eles podem fazer nesse momento. Sabe-se lá qual a história de vida deles. Todo mundo tem suas dificuldades, seus defeitos, seus preconceitos. E quem disser que não, está mentindo. A gente tenta ser melhor, mas ninguém é modelo de nada.

E as preocupações dela, certas ou erradas, são por amor ao filho que ela amou e cuidou por todos esses anos. Ninguém quer ver o filho sofrer. Então as maiores preocupações dele, era sobre um possível divórcio, ou sobre eu querer voltar pro Brasil com saudade e deixar o Emre, se eu iria vê-los como estranho e não seria próxima ou carinhosa, como iriam se comunicar comigo, se eu tinha bons hábitos, como era minha conduta. Essa coisa toda. E para cada um desses questionamento, a Yaren tentava dar um outro argumento sobre quem eu era. Mas acima de tudo, ela tentou mostrar a ela a importância de parar de julgar com tanto medo e esperar para ver com seus próprios olhos. Eles precisam me ver, estar comigo. Pode ser que nem assim gostem de mim, mas eles tem que me ver primeiro pra formar uma opinião mais justa.

Ela chegou a admitir, que pra eles que são de uma cidade menor, que são mais religiosos e tradicional, é muito difícil entender certas coisas e abrir mãos de certos preconceitos. A cada argumento da Yaren, ela ia amolecendo, amolecendo, amolecendo... até que no final da conversa, ela fechou com:
- É, precisamos conhecê-la, você tem razão. Espero que Deus faça o que for melhor para eles.
Amém, que assim seja. Mas sinto muito claramente, a cada batalha, a cada vitórias diária, as mãos de Deus sobre a nossa vida, seja lá qual exatamente seja o rumo exato dessa história. Mas confio e sei que vai ser o melhor.

O Emre e a mãe, não chegaram a falar sobre esse assunto ainda. Mas o pai dele já telefonou pra dizer que agora a mãe sabia do que estava acontecendo completamente. E fez as mesmas perguntas anteriores.
- Mas e se ele quiser voltar ao Brasil?
- Ela fuma?
- Ela bebe?
- Como ela se veste?
- E a família dela, o que acha disso?
- Os pais delas são mesmo separados? Vê só, como são as famílias por lá!
- Ela é virgem? (É, perguntou sim)
- Como é a personalidade dela?
- Ela é risonha? Queremos muito uma nora que sorria para nós.
- Ela é carinhosa? Queremos que ela seja como uma filha para nós, e não uma pessoa distante.
- Ela já se formou?
- Ela está fazendo o que na Turquia?
- Ela quer trabalhar? Sim? Ah, que bom... assim a vida financeira de vocês vai ser melhor, especialmente nos primeiros anos de casados. Queremos ajudar você no se casamento, mas é melhor que sua esposa trabalhe também.

E por aí vai.

Vai acontecer um casamento, de um grande amigo do Emre que mora aqui em Istambul, mas também é lá da cidade dele. Será em Maio, e até lá o Emre já saiu do exército e vai poder participar. Eu sou LOUCA pra ir a um casamento aqui na Turquia e eu já vinha dizendo que queria ir nesse. Mas o Emre, sempre disse não dava pra eu ir, porque a situação com os pais dele, não estava ainda 100% resolvida. Mas para a minha surpresa o pai do Emre, pediu para ele me convidar para o casamento. Fique tãããão feliz com isso! Já é um passo.

Mas andei falando com meus amigos, minhas vizinhas e chegamos a conclusão de que "É uma cilada, Bino!".
Pensa bem, eu lá sem ninguém conhecido por perto. Vou ter que dormir lá. Lá é menos "aberto" do que Istambul, então as chances de eu cometer uma gafe como: ir ajudar a mãe dele na cozinha, e fazer besteira - porque é, eu AINDA sou péssima na cozinha. Mas tô trabalhando no assunto - é muito grande.

Estando aqui em Istambul, se tiver que preparar algo na cozinha, posso ter ajuda e fazer isso com calma. Aqui todo mundo é mais misturado mesmo, então acho que vão reparar menos nas minhas roupas ou algo assim. Também vou ter meus vizinhos e amigos para me elogiarem horrores hahahaha. (Oh a estratégia!).

Então acho que vai ser melhor eu ficar por aqui mesmo.

Sinto agora um grande peso nas minhas costas: o de ser quase perfeita. Porque acho que quando as pessoas, já vem com grande desconfiança, ela já estão pré-condicionadas a acharem até as mínimas coisas, grandes problemas. Vou sim ser mais cautelosa e fazer uma série de esforços, mas tenho um grande compromisso comigo mesma, com o que acredito e até com eles mesmos: o de ser eu verdade, ou seja, o de ser a Jessica que eu sempre fui.

Não é por isso, que se eu já sou um desastre na cozinha, que não preciso aprender nada, porque eles tem que me amar como eu sou e "dane-se". Não sou desse tipo. Faço o que posso para aprender, mas nem por isso vou pedir alguém parar preparar uma mesa farta e linda e dizer que fui eu, se isso não é verdade. E seja o que Deus quiser. Agora estou mais aliviada, e tenho meu coração limpo.

Me desejem sorte!
Um beijaaaaaao, florzinhas queridas do meu coração!

ps: já passou de meia-noite aqui, então já faz 2 meses que estou aqui. Ufa, passou rapidinho.

19 comentários:

Natalia Eiras disse...

Mulé! Vai pro casamento!! Vai perder uma chance dessas, de realizar um sonho seu, por medo da sogra?! Enfrenta a fera!!
Eles não tem que gostar de você sendo quem você é?! Então, ajuda a sogra na cozinha e mostre-se disposta a aprender, pedindo que ela lhe ensine a cozinhar (de preferência algo que ela se ache a melhor cozinheira do planeta!!!) e com certeza ela não vai achar você uma má "esposa"; afinal, você esta disposta a aprender!!!
Se você se enconder em Istambul, será sinal de fraqueza!!! Ai, ai, ai...você não é fraca!!!
Não conhece ninguém na festa? Que espécie de comunicóloga é você????
Imagina a cena: festa estranha com gente esquisita, e adivinha...a esquisita é você!!! Tem alguma dúvida que você será o centro das atenções na festa com todo mundo te perguntando sobre o Barsil?????
Faz tuas malas!!!!
Até porque eu tb quero conhecer um casamento turco!!!!!
=P
Beijoooooooooooooooooooo

Anônimo disse...

Querida Jéssica, te desejo toda sorte do mundo! Ms hj estou irritada em grau máximo... então fico p da vida com essas esquisitices. Será q não dá pra confiar na escolha do filho, não?! Vai nesse casamento e eles vão ver quem é vc... Deixa a ficha deles cair q se o filhote não casar logo contigo vai perder um partidão... quero ver eles arrumarem alguém a tua altura por aí... ah isso eu quero ver... Às vezes até entendo a posição deles, ms seu noivo é bem crescidinho e sabe das escolhas dele... Ai meu Deus, to mto irritada hj! Eu tenho CERTEZA q qdo eles te conhecerem vão provar o poder da mulher brasileira, rs! Ai como eu to bandida, rs!!! Boa sorte, amore!!!
Bjos.
Belatrix

Sibely Vieira disse...

Jessica, eu nem te conheco, mas pelo que vc escreve aqui no blog, da pra ver que vc eh uma menina muito doce, meiga, simpatica e muito educada. Fica tranquila, porque a familia dele, assim que te conhecer vai gostar muito de vc, tenho certeza disso, acho que meu sexto sentido diz isso. Vai no casamento sim, tente se vestir mais ou menos como as meninas da sua idade e que sao dai se vestem para ir em um casamento,as pessoas mais tradicionais como seus futuros sogros apreciam muito a discricao. Eles devem ter medo das mulheres que nao sao do pais deles, pensam que elas sao liberais demais, ate mesmo na maneira de se vestirem. Eu sei que vc eh super discreta, mas tenta ser ainda mais. E se vc nao sabe cozinhar, ajuda sua sogra a lavar os pratos, lava tudo, nao deixe um prato/copo/panela sujo na pia, td que voce ver sujo voce lava, nem pergunte se querem que vc lave, simplesmente pegue a bucha e sabao e va lavando enquanto ela cozinha. As sogras adoram noras que ajudam na cozinha. Eu falo porque sou sogra ja, tenho 2 filhos que devem ter a sua idade e gosto demais qdo as namoradas deles me ajudam na cozinha. E nao se esqueca de comprar um presentinho pra sua sogra viu? Mesmo que seja uma simples caixa de bombons, ou flores, ou um lenco desses que as mulheres turcas usam. Compre qualquer coisa assim bem simples, que ela vai adorar o seu gesto. E seja voce mesmo, com sua alegria, jovialidade, bom humor, com seu jeitinho meigo e alegre vc vai conquistar toda a familia. Beijos e boa sorte..!

Milena F. disse...

Que situação difícil menina!!!
Mas eu diria que vc não tem que tentar ser perfeita, pois isso não existe, e perfeita do ponto de vista de quem? Mas se quer impressioná-los e ser aceita, siga as regras corretamente, mas no mais seja vc mesma!
Boa sorte!

Sirlene disse...

Oi Jess , nem preciso falar que me identifico com isso né ?
Também tive sérios problemas com a família do meu turco e eu tenho um agravante que faz toda a diferença.
Tenho 2 filhos e sou divorciada , já ele nunca casou...
Eu entendo bem o que vc quer dizer em ter jogo de cintura, eu me requebro daqui.
Se valer meu conselho, vá ao casamento SIM concordo que eles possam estar querendo testa-la etc... mas vistas sua armadura ( sorriso no rosto, cabeça erguida e coração enorme querendo abraçar todos eles ) e vá . Mesmo porque se vc não for pode parecer que vc fez uma desfeita com o convite do baba ... Enfim garota que Deus possa tocar seu coração em qual o melhor caminho a seguir .

Muita luz muita sorte e pensamentos positivos fé sempre Jess

Beijão

Luciana disse...

Jess,

Te conheci no aroporto. Dividimos assento na viagem para Istanbul e não tem o que você temer..As horas que fiquei com você deu pra ver o quanto é doce, alegre, sensata..Eles vão te adorar..Certeza!! Ninguém é perfeito. Nem eles..O amor que o Emre sente por você já diz tudo o que você é. Quando a família vir vocês juntos eles darão a benção! Cozinhar, limpar a casa você aprende!!

Boa sorte!!

:D :D

Grazi disse...

Também acho que deves ir! Mesmo que seja uma cilada, o Emre vai te ajudar a sair dessa!
E o mais importante de tudo: você demonstra vontade de aprender, de se adequar. E isso não vai fazer com que você deixe de ser você mesma.
Eu penso que essa sua vontade de aprender, somado ao teu jeito (nem preciso elogiar mais né rsrrs), vai pegá-los de jeito!

Anônimo disse...

ai meu DEUS. jessica minha linda, eu sei que estas insegura , mas a partir da hora que pegou um avião e foi para Istanbul sabia que isso ia acontecer . não seja ne gativa :( eles não precisam ama vc basta que te aceitem ok.pense se te aceitam sua vida vai passar a ter outro sentido planos para o futuro que até então enrosca nisso bjs

Anônimo disse...

Garota Boa sorte pra vc . Li o blog quase todo e vou seguir a continuação da história. Pela sua fé e conduta sei que tudo dará certo. Abraço

Mi disse...

Oii, to sempre aqui no seu blog lendo e torcendo por vcs.Não me lembro de já ter comentando aqui, mas hj senti vontade de comentar tb.rsrsrs.
Assim como as meninas já comentaram, tb acho que vc deve ir sim ao casamento.
Qto a te testarem, é lógico q vai acontecer as 24 horas q vc estiver com eles,mas se vc puder ir com a sua amiga Yaren, acho que vc iria sentir mais a vontade, já q a familia dele já conhece ela, seria uma boa se ela fosse junto, aí vc poderia ficar ao lado dela o tempo e nao ficaria tão insegura. Acho q seria muito bom.
Boa sorte!!

Anônimo disse...

oi Jessica , eu leio seu blog e desejo que tudo de certo :) conforme a vontade de Deus. sabe tem horas que a gente tem que atravessar uma ponte talves para o desconhecido , mas Deus nos da estrutura e força.tem muita gente torcendo pela sua felicidade, e Deus nunca desampara um filho seu. eu percebo isso quando vc fala das pessoas que conheceu ai . "TUDO POSSO NAQUELE QUE ME FORTALECE" Alaine bjnhs:)

Flávia disse...

OI Jéssica, desejo toda a sorte do mundo para você! Apesar de conhece-la apenas por aqui, admiro sua coragem, determinação e maturidade. Você já está pronta! Vá a esse casamento para que eles possam conhece-la e apaixonar-se por você também. Você está corretíssima quando entende os medos e anseios da família dele, é por aí mesmo. Eles também entenderão o amor de vocês. Estou aqui torcendo!! Beijos

R. Mello disse...

Oi Jessica,lembra de mim..?! Rs

Continuo ocupada mas sempre que dá passo aqui pra acompanhar sua linda história e até tiro forças daqui pra continuar com a minha história.. Acredite!

Pois é, sua história está se concretizando e assim como as meninas já falaram tbm concordo que deverias ir a mais esse 'desafio', tbm não te conheço pessoalmente, mas pelas conversas que tivemos posso dizer com toda certeza que seus sogros vão gostar de vc fácil, não precisa ser perfeita, basta mostrar que está disposta e que o amor de vcs é pra valer, enfim, queria deixar só uma mensagem aqui pra vc:

"Sede fortes e corajosos; não temais, nem vos atemorizeis diante deles; porque o Senhor vosso Deus é quem vai convosco. Não vos deixará, nem vos desamparará."
Deuteronômio 31:6

Fé e Força! (Lembra?!)
(:

R. Mello

Gabrielle QR disse...

Jessica... vai com tudo menina!!! Seja vc... todos vão te amar. Eu sou noiva/casada com um turco (moramos juntos há quase 4 anos e vamos casar esse ano no civil... casamos no Islam antes de morarmos juntos) e posso te contar... eles amam o Brasil... Pode haver preconceito, medo, insegurança... mas quando sentirem a sua docura vão enlouquecer... Eles são calorosos... querem abraços, beijos e atenção! Relaxe, seja vc... Mas nunca esqueça de observar e de não se sentir mal se ele pedir para vc se vestir discretamente na cidade dele hahahhah Eu ficava revoltada quando tinha que me cobrir um pouco ao visitar certas pessoas... mas depois vc entende que não é questão dele não te aceitar como é, mas de querer te protejer contrar as más línguas das pessoas com mentes menos liberais =) Se quiser conversar e trocar idéias, adicione meu perfil Gabrielle Türk Aşkı no Facebook. Tb compartilho algumas coisas no blog Türk Aşkı, a Minha Turquia - www.minhaturquia.blogspot.com.br - Boa sorte aí!!! Beijos

Bogart disse...

SORTE Jéssica!!!
Nossa, não consigo imaginar o que está passando por sua cabeça(com certeza muitaaaaas coisas)
Mas o melhor a fazer agora é ter paciência e calma. Você é uma pessoa legal e doce, e eles vão ver isso.
Porque é impossível não perceber o amor que Erme sente por você. Eles também irmão sentir. Muita sorte. Um beijo. TUDO VAI DÁ CERTO!!!!!

Anônimo disse...

nao se preocupe. nao é vendo q voce é um desastre na cozinha que irao te rejeitar. é percebendo a menina mimada q voce é - e isso nao da pra esconder.

Marina disse...

Caro anônimo, melhor ser mimada do que recalcada.

Anônimo disse...

Jessica, espero que a família dele perceba que no fundo o que importa é ver o filho feliz e que quem faz isso por ele é você!

Livia disse...

Jessica, eu leio suas palavras e vejo minha vida toda nelas. Eu tambem moro em Istanbul e sou noiva de um turco. Gostaria que nos pudessemos ser amigas na vida real.
Boa sorte em tudo, mta forca!
Um bjo,
Livia