segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

O amor e suas fases

Olá meu povo e minha pova.
Esse mês vai ser assim mesmo, com poucas postagens. Eu não ando fazendo muita questão de estar na internet com tanta coisa pra fazer, tanta coisa pra pensar e perder esse pedacinho precioso de vida aqui no meu país, na minha casa, no meu cantinho, com minha família e meus amigos brazucas. Estou precisando valorizar o que tenho agora, ao invés de ficar com minha imaginação fértil que pensa em tudo ao mesmo tempo e me deixa mais ansiosa, nervosa e com tanto medo do novo.

Indo logo ao que interessa...
Eu estava pensando: acho que relacionamentos são mesmo de fase. Às vezes sensacionais, outras vezes tristes, outras complicados, de sorte, de azar, de brigas... uma mistura normal e que acredito fazer parte de todo casal.

Quanto tempo pode durar cada fase, eu não sei. Mas eu posso afirmar, com toda a certeza, de que eu nunca vivi uma fase mais amorosa, mais incrível, mais próxima, mais maravilhosa com o meu namorado.
Pra uns, a distância afasta. Para nós, tem nos unido mais do que nunca. Claro que é um saco não saber se vou falar com ele naquele dia, não poder olhar aquele rosto lindo sempre que eu quiser, e abraçá-lo, sentir o cheirinho dele e encher ele de beijo até ele não aguentar mais. Mas tenho certeza de que é um momento de aprendizado que tem nos ensinado a ser grandes parceiros de vida. Esperando um pelo outro, torcendo um pelo outro, orando um pelo outro, preocupados - à cima de tudo - com o bem estar do outro. A vontade de estar junto, o mais rápido possível, é transbordante. Mas a certeza de um amor bonito e seguro, nos fortalece tanto...

Eu devo admitir... no campo da imaginação, na distância, no campo do impossível, tudo fica, definitivamente, muito mais bonito. A gente se esquece das brigas, das diferenças, das manias chatas do outro, das situações chatas. Parece que tudo fica mágico, perfeito e cor-de-rosa. Bem aquela coisa de 'oi, conheci um turco na semana passado, gamei e quero casar com ele ontem" que vocês me contam, sabem como, danadinhas? rs
Sei também que se eu tivesse falando com ele todo dia, toda hora, iriam ter dias de briga. Mas agora, a gente não tem espaço pra isso. Só pra esperar e amar, amar, amar. Lembro que nos primeiros dias com ele, às vezes, eu terminava as frases dele. Ou então, assim que eu ligava pra ele, nem se ouvia o barulho de chamar, porque ele estava ligando pra mim ao mesmo tempo. Digitávamos frases parecidas no Skype/MSN. Pode ser uma grande conscidência, lógico. Mas chega uma hora, quando a coisa se repete que você sabe que já passou de sorte, para uma forte ligação de corações.
Hoje, eu juro que peguei no telefone e pensei "Já está ficando tarde, ele não vai me ligar hoje?", coloquei meu aparelho na cama e UM SEGUNDO DEPOIS o telefone toca. Era ele me ligando e soltando um belo "Ooooi prensesim benim, how much i missed you!"  pra me fazer sorrir e ter mais força. Contei pra ele da "lovecidência" e como antes ele dizia... "it's no coincidence, we're soulmates". E eu fico tooooda boba, ai que delícia de sentimento! :)

Chegando lá, quando passarmos a conviver do dia-a-dia (finalmente, eeeee) terão dias em que eu vou querer vir aqui e dizer "Aaaaaaaaaaargh, quero matar esse turco". Eu sei que sim, faz parte da realidade. Não adianta. Por melhor que seja o outro, que seja o relacionamento e por mais equilibrados que sejam, a distância e a imaginação fazem tudo parecer perfeito. Quase como aquela solução que esperamos a vida toda pra nos salvar e nos fazer sermos plenamente felizes. Acho que não é exatamente assim, porque eu acredito que quanto maior a expectativa, maior pode ser a decepção.

O que procuro fazer? Viver com intensidade essa fase deliciiiiiiiinha com ele, mas preparada pros dias ruins e pronta para, ainda assim, amar muito e ser muito feliz ao lado do Cabo Naval mais lindo do pedaço!

Haverão dias que vou sentir que estou mais apaixonada? Iiih, fácil, fácil...
Haverão dias que eu vou querer dar uma sacodida naquele garoto? É, eu sei que sim. rs
Mas sei que toda essa dificuldade, essa distância tão grande, esse tempo separados, essa diminuição de contato tão brusca, toda a ralação que está sendo realizar essa loucura, que tudo o que estou abrindo mão, que toda a responsabilidade que ele está assumindo, só podem ter servido pra nos fazer crescer juntos, entender que a vida não é fácil e pra construir nossos sonhos numa rocha bem firme e indestrutível. Uma pedra toda fofa, colorida, cheia de coraçõezinhos, ok? hihuhaua, mas ainda assim, que possibilite certeza de um futuro bom.

2 comentários:

Sirlene disse...

Owww Gatona ... E quem disse que a vida teria graça se tudo fosse bom o tempo todo ???
Eu penso que não!
Enfim as discusões são ótimas para fazer as Pazes depois = )) e a gente aprende, cresce fica mais forte com elas.
Por experiência propria te digo o cotidiano de um casal " normal" é uma delicia para quem esteve junto por tanto tempo tendo um oceano nos separando.
Vai lá garota seja feliz por que a vida tem a cor que a gente pinta = ))) Beijosssss Fica com Deus

Kátia Malgueiro Karaman disse...

Eeeeeh q tem o pezinho no chão o tempo todo :-)
Ainda eh recente pra dz (no meu caso) mas a vida a dois eh melhor aindaaaaa.... A pessoa estah ali te achando linda mesmo qdo acaba de acordar ou estah com a tromba amarrada por causa da braveza... Ooooo pitchulinha seja muuuuito feliz... Vc verá q não estar longe, não significa perder aquela coisa de td eh perfeito, e sim, de perceber o qto vcs sao perfeitos juntos, ainda que existam aquelas briguinhas bobas de casal :-)

Beeeeeijos